Durma tranquila…

A maioria dos cristãos já leu a palavra do apóstolo Pedro:

“Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus; e, se primeiro começa por nós, qual será o fim daqueles que são desobedientes ao evangelho de Deus?”  (IPe.4:17)

Por algum tempo pensei que os primeiros apóstolos fundadores da Igreja pensavam que Jesus voltaria ainda no tempo deles. Hoje, penso diferente. Penso que eles consideravam o tempo como um todo único, que ia desde ascensão do Senhor até sua segunda vinda, por isso incluíam-se neste tempo. Pedro parece estar dizendo a mesma coisa, pois incluía os julgamentos divinos sobre a Igreja como se fossem os dias finais, e eles estavam apenas começando.

Os dias finais, de fato, compreendem desde a ascensão do Senhor até sua segunda vinda, mas com etapas temporais que acontecem segundo a ordem de Deus. Nós é que precisamos compreender a eternidade para que entendamos como essas coisas acontecem no tempo. Na eternidade possuímos todos os momentos plena e simultaneamente, e assim devemos entender como são as profecias. Por isso disse o Pregador:

“O que é, já foi; e o que há de ser, também já foi; e fará renovar-se o que se passou.”  (Ec.3:15)

A história do profeta Jonas nos dá um modelo a respeito: por que virão os juízos de Deus sobre a Sua casa. Deus o chamou para avisar os ninivitas que destruiria a cidade de Nínive se não se arrependessem dos seus maus caminhos. Jonas não foi para a cidade de Nínive. Mudou de caminho indo para Társis. Há aqui duas lições importantes: Jonas confiava tanto no Senhor que pensou: “Se eu pregar e eles se arrependerem, minha palavra sobre destruição não acontecerá e eu passarei vergonha” – Jn.4:2. Ele tinha tanta confiança no amor de Deus que pensou somente em si – teve autopiedade (vs.3). Mas há uma lição para a igreja que não pode passar despercebida.

Quando Jonas tomou o navio para Társis, o Senhor enviou um vento fortíssimo sobre o mar e os marinheiros ficaram com medo. O que fez Jonas? Ajudou os marinheiros na hora difícil? Não, foi para o fundo do navio e dormiu…

Os marinheiros acabaram descobrindo Jonas, que confiava no Senhor mas fugia das suas obrigações. A obrigação de Jonas era pregar o arrependimento dos pecados para que o Senhor não destruísse Nínive. Isto está ocorrendo na Igreja hoje mesmo. A Igreja sabe que deve se opor à ideologia satânica do marxismo junto com o politicamente correto mas, ao contrário, recebe doutrinas satânicas em seu meio como se fosse algo bom que veio do Senhor. Já ouvi cristãos dizendo que Jesus foi o maior comunista que o mundo conheceu!

Agora, vejamos a verdade. Jesus falava em cuidar dos pobres e oprimidos, órfãos e viúvas, mas jamais disse que o Estado deveria fazer isso. A obrigação é individual, não coletiva nem por meio do estado. O Seu reino não é deste mundo, portanto, o estado não tem nada a ver com a ordem dada por Jesus – a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. Além disso, o marxismo apenas diz que seus ideais prezam pelos pobres e oprimidos mas, na prática, são estes os que mais sofrem e morrem nas mãos dos comunistas ao longo da história (socialistas e progressistas são a mesma moeda com outros nomes).

Contudo, a história de Jonas não parou ali. Jonas foi jogado ao mar pelos marinheiros, foi pego por um peixe e jogado na praia perto de Nínive após 3 dias em completa escuridão. Posso fazer uma analogia: os marinheiros representam os inimigos da Igreja cristã, e Jonas representa a própria Igreja que está apostatando por misturar doutrinas humanas à Palavra de Deus. Jonas não apostatou, mas fugiu de suas obrigações da mesma forma que a igreja está fugindo das dela. A Igreja tem que manter limpo o seu arraial e pregar arrependimento para evitar que Satanás a destrua desde dentro, e não tem feito isso. Portanto, posso dizer que os mesmos juízos que vieram sobre Jonas virão sobre a igreja. Será lançada ao mar revolto e engolida pelo grande peixe, o qual representa o sistema satânico já em plena atuação no mundo. Se você ainda não sabe, a besta que emerge do mar já está operando, e há poucos dias a besta que emerge da terra já mostrou seus dentes (Ap.13). Trato disso noutra postagem.

Assim, é possível entender que a igreja é julgada primeiro para que o arraial mantenha-se limpo e continue pregando as Boas Novas da salvação em Cristo. Depois dos juízos que já despontam no horizonte veremos quem é joio e quem é trigo. Serão agitadas todas as doutrinas e as contrárias à Palavra de Deus, que muitos cristãos seguem, serão claramente vistas por aqueles que andam em fidelidade ao Cordeiro – é o início da Filadélfia de Ap.3. Como falou o anjo ao profeta Daniel:

E ele disse: Vai, Daniel, porque estas palavras estão fechadas e seladas até ao tempo do fim. Muitos serão purificados, e embranquecidos, e provados; mas os ímpios procederão impiamente, e nenhum dos ímpios entenderá, mas os sábios entenderão. Dn.12:9,10

A história de Jonas serve apenas para ilustrar o que vem vindo e já é visto no horizonte. Se você quer saber mais, leia Jeremias 23. Qualquer profecia que o Senhor nos tenha dado nestes dias está completamente baseada nesse capítulo. O Senhor ainda fala com seus profetas mas jamais mudará uma só vírgula do que já disse.

 

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s