A armadura de Deus serve em mim?

Diz a Bíblia que cada um dará contas de si mesmo a Deus. Portanto, o arrependimento coletivo com base no arrependimento de uma só pessoa não existe. O que pode haver é um número grande de pessoas arrependendo-se num mesmo encontro, ouvindo a mesma pregação, como ocorreu no dia de Pentecostes – At.2:41. Mas o fato é que cada indivíduo ali presente ouviu algo que tocou-lhe internamente e recebeu a palavra falada como sendo para si. Jamais será possível que uma pessoa aceite a palavra da salvação e todos os que estiverem com ela sejam salvos por associação. Não é isto que a Bíblia diz e seria algo até irracional pensar desta forma.

Atualmente vejo pessoas começando a pensar nas catástrofes que estão ocorrendo no mundo e se perguntando onde está Deus nessas horas. A resposta é simples: Deus está no mesmo lugar onde estava quando crucificaram seu filho Jesus.

Os cristãos estão começando a perceber que Deus nunca parou de falar com Seu povo e que toda palavra dada aos seus servos profetas não será diferente da que Ele já falou aos seus profetas do passado. Portanto, toda palavra dada hoje aos profetas tem base na Bíblia, já escrita há milênios. Por que, então, precisamos de mais alguma palavra da parte de Deus? Por uma razão muito simples: existem textos das Escrituras que estão selados e o Senhor, conforme a Sua vontade, abre os selos e nos revela o que aquele texto diz e quando será seu cumprimento. Pode, também, acrescentar detalhes que não foram escritos na época, como p.ex., um juízo mais duro para uma nação em especial, ou uma palavra para um país que não existia naquela época. Lembre-se de que os países das Américas não eram conhecidos no tempo de Jesus.

As profecias falam de maneira genérica sobre uma nação do norte, p.ex., mas não dizem o nome desta nação. Hoje, conhecendo os países como conhecemos, podemos entender com mais clareza a direção da profecia. Assim, o Senhor fala diretamente sobre quem vai agir. Nada muda em relação à palavra profética já dita anteriormente pelos profetas. Apenas, como se usando uma lupa, o Senhor dá mais detalhes sobre o que virá. Dentro desse entendimento, deixo aos meus leitores algumas explicações importantes.

Aqueles que baixaram os textos proféticos devem estar se perguntando se ao final dos três anos anunciados para juízo as pessoas não acabariam por entender que foi o cumprimento das profecias maias e não a Palavra de Deus acontecendo. Isso não acontecerá por uma razão clara do texto. O Senhor diz:

“Em três anos… porei o mundo de joelhos”.

Isso significa que ao longo de três anos o Senhor colocará o mundo de joelhos e não que somente no terceiro ano algo acontecerá e porá o mundo de joelhos.

E por que será assim?

Eu também me perguntei isso, principalmente quando comecei a pensar nas profecias maias. Será que o Senhor permitiria que alguém confundisse a palavra Dele com as palavras dos homens? Certamente que não.

O entendimento é outro. Durante o tempo no qual o Senhor exercerá juízos sobre a terra, Seus filhos terão tempo para entender o que aconteceu com a igreja e poderão investigar seus corações para ver se andaram em retidão diante do Senhor. Diante da análise honesta, pode ocorrer uma de duas situações:

  • O indivíduo perseverou na palavra de Cristo e está em paz com sua consciência e com Deus;
  • O indivíduo percebe que se desviou, aceitando falsas doutrinas como verdadeiras, e se arrepende de não ter buscado a direção de Deus para acertar o passo.

Entendemos que a maioria dos cristãos estará na segunda possibilidade. Sendo assim, é de suma importância entender que Jesus é a propiciação pelos nossos pecados em qual situação for. Se houve desvio e arrependimento sincero, haverá perdão da parte de Deus, quando confessado em verdade.

No entanto, é importante frisar que virão batalhas espirituais intensas nesse período. O inimigo fará de tudo para destruir o pouco de verdade que foi implantado no coração dos filhos de Deus e vai agir com grande força para que isso aconteça. Assim, é muito importante saber como proceder para enfrentar o que virá.

É bem possível que você leitor já esteja passando por alguma situação complicada. Eu já estou, e afirmo que é algo muito poderoso que está agindo ao meu redor. Todo aquele que quer viver piedosamente em Cristo Jesus sofrerá perseguição, mas nestes tempos a perseguição aumentará. E não me refiro somente à perseguição de homens contra homens, mas de homens oprimidos pelo maligno contra os filhos de Deus, salvos pelo sangue do Cordeiro derramado na cruz.

Contudo, alegre-se, mesmo que seja muito difícil fazê-lo. Mas faça-o em verdade, confiando que o Senhor é poderoso para fazer muito mais do que pensamos ou pedimos. Esteja certo de que Ele fará mesmo, pois Ele é fiel. Todas as suas promessas tem o “Sim” em Cristo.

Assim, o primeiro passo para enfrentar o que vem vindo é conhecer a Palavra de Deus. Quando estiver lendo a Bíblia, ore para que o Espírito Santo a revele a você. Estou certo de que Ele dará uma palavra específica, uma porção especial da Sua palavra para cada cristão que anda em verdade diante de Deus.

Mas o inimigo não vai deixar de atacar apenas porque alguém está estudando a Bíblia, ou está orando, ou está em verdade diante de Deus. Ao contrário. Ele está esperneando porque sabe que seu tempo está próximo e fará o que puder para destruir o que é do Senhor.

Há algo que você precisa ter sempre na memória: O diabo não faz nada sem pedir permissão a Cristo.

Jesus pode permitir que ele se aproxime de você, mas não permitirá que vá além da sua capacidade de suportar alguma provocação. Sim, não se trata de provação de Deus, mas de provocação de satanás. Tentação é isso: provocação.

Ele pode mexer com alguém da sua família, como fez comigo. Pode causar-lhe alguma enfermidade se você agir ou não fora da Palavra de Deus, sentir raiva, ódio ou deixar de perdoar verdadeiramente seus inimigos.

Este é um ponto fundamental para estes tempos: perdão.

Na oração do Pai Nosso lemos:

“Pai, perdoa as nossas dívidas assim como nós temos perdoado os nossos devedores”.

Então, antes de ofertar a sua oração, sente-se sozinho com Deus e observe em seu coração se algum inimigo seu ainda lhe incomoda, ainda o fustiga com a sua zombaria, ainda lhe faz mal ou persegue no trabalho, na escola, em casa até, ou o que for. Traga à memória aquelas coisas todas, encare-as como ofensas que são e, de coração, perdoe seu ofensor. Você pode estar se perguntando:

– Ora, mas se eu já fui perdoado, por que preciso perdoar para ser perdoado na mesma medida?

A resposta é bem simples: Você pode ter se arrependido de ser pecador e ter andado longe de Deus. Isso é o arrependimento sobre a sua condição natural de pecador. Nascemos em pecado e este pecado é perdoado quando reconhecemos esta condição terrível e nos aproximamos de Jesus para que nos limpe deste pecado de morte.

Depois disso, já perdoado, cometemos outros pecados novamente. Lembro que pecado significa errar o alvo de Deus. Então, é aí que entra a oração que o Senhor nos ensinou. Se queremos ser perdoados do que fizemos depois de salvos, devemos perdoar aqueles que – salvos ou não – cometeram pecados contra nós.

Uma vez que estejamos limpos do ódio, da raiva, da pena que sentimos de nós mesmos (autocomiseração), podemos vestir a armadura de Deus para enfrentarmos as batalhas que se apresentam diante de nós. Costumo dizer que o pecado forma calos no corpo, que impedem a armadura de caber perfeitamente. Já observou que, quando não há perdão da nossa parte para com nossos inimigos, temos que retroceder diante do nosso Adversário? Lembre-se de que o amor cobre uma multidão de pecados! Então, faça!

Agora a armadura servirá perfeitamente em nós, porque o pecado foi lavado de nós e cabemos no manequim da armadura, que Deus preparou de antemão para que usássemos nestas horas difíceis.

Então, vamos começar vestindo o capacete da salvação. Tenha sempre na memória que Cristo o salvou. Isso significa que aqueles pecados que você perdoou dos inimigos e aqueles que você confessou e obteve perdão de Deus não vão mais servir de empecilho entre você e Deus. Você pode clamar, pois será ouvido pelo Senhor e terá sua petição atendida conforme Sua vontade. Em Cristo está o “Sim” para todas as promessas de Deus.

Em seguida, vista o cinturão da verdade. Ele estará ao redor de você para dar firmeza ao restante da armadura e protegê-lo do atrito na hora da batalha intensa. O cinturão é largo e segura todo o restante da armadura em seu corpo. A couraça da justiça será vestida sobre o cinturão da verdade e nele estará fixado. Isso significa que a verdade deve andar com você e você com ela, de tal forma que qualquer mentira jamais partirá de você e jamais o atingirá. Sua armadura ficará firme em seu corpo e não vai balançar na hora mais importante, que será quando seu inimigo vier atacá-lo pesadamente. E não se esqueça que andar na verdade significa dizer a verdade até para Deus. Quando o Senhor falava com Jeremias e lhe mostrava os juízos que viriam sobre Israel, o profeta disse:

“Senhor, vejo que verdadeiramente enganaste este povo”.

Nenhum raio caiu na cabeça do profeta por causa disso. Sabe por quê? Porque ele falou o que estava pensando naquela hora. Deus sabe tudo e se o profeta mentisse, estaria pecando duas vezes: por tentar esconder a verdade e por contar uma mentira. Se você acha que o Senhor não está ouvindo, ou que não está atendendo suas orações, e está com raiva disso, fale para Ele. Continue dizendo tudo até esvaziar o coração. Ao final, tenho certeza, você saberá quem é que está errado. O maligno não poderá vencê-lo se você for aquele adorador que adora a Deus em espírito e em verdade.

Já passei por isso e sei que a verdade é algo que destrói qualquer forma de ataque maligno. Por mais calúnias que o inimigo lance contra nós, a verdade nos mantém firmes e não precisamos nos preocupar com nossas palavras e atos. Se estão firmes na verdade, o inimigo não nos impõe medo.

Sobre a verdade devemos vestir a couraça da justiça. Esta parte da armadura é muito importante, pois protege nosso coração e os órgãos vitais do corpo. Sim, temos um escudo da fé, mas ele é móvel e podemos deixá-lo cair num ataque mais feroz. A couraça da justiça, não. Ela ficará firme e nos protegerá inteiramente. A couraça significa a Justiça de Deus feita em Cristo Jesus. Qualquer coisa que chegue perto de nós terá que passar pela Justiça de Deus antes de nos atingir. É importante lembrar que essa Justiça é impenetrável. Deus não muda uma vírgula da Justiça que fez em Cristo para nos salvar. Cristo é a nossa Justiça, segundo a Bíblia. É Ele que está ao nosso redor protegendo-nos das armas do inimigo. Se o escudo da fé falhar, a Justiça de Deus nos protegerá. Não há nada em cima nos céus nem embaixo na terra nem nas águas embaixo da terra, nem anjos nem poderes nem potestades que poderão nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus.

Mas nós andamos, corremos, saltamos e caminhamos em meio às batalhas. Portanto, é hora de calçarmos as sandálias da pregação do evangelho da paz. Estando nos pés, caminharemos sobre o evangelho. As sandálias da pregação do evangelho protegerão nossos pés impedindo que uma pedra nos machuque e percamos a atenção necessária à luta. Cada passo será sobre o evangelho. Cada corrida, cada caminhada, cada salto será feito sobre o evangelho de Cristo. Por onde andarmos, o evangelho estará conosco, ainda que venhamos a dar apenas um passo. Ele estará lá.

No entanto, o inimigo não vai parar de nos atacar só porque estamos vestidos com uma armadura. Ele continuará a nos fustigar até que, pela fé na Palavra de Deus que não pode mentir, ele não suportará a pressão e fugirá. Mas nem sempre estamos ‘sentindo’ fé, não é mesmo? Porém, fé não tem nada a ver com sentir. Vou dar um exemplo.

Digamos que você marque um encontro com alguém de confiança no centro da cidade. Se a pessoa diz que vem, então, virá de qualquer jeito. Você e ela têm que resolver um assunto importante e não podem se atrasar. Mas, ela começa a demorar e você não consegue falar com ela pelo celular. Ainda falta uma hora para poderem resolver tudo sem problemas posteriores, mas ninguém aparece. Você começa a ficar ansioso e começa a achar que a pessoa não vem, ou que aconteceu alguma coisa que a impeça de estar ali naquele momento. Sua ansiedade o perturba, mas, e sua confiança na pessoa, muda?

Veja, esse amigo é homem como qualquer outro e está sujeito aos problemas que todos os homens enfrentam. Ele estava vindo e o carro quebrou, um pneu furou, o trânsito estava complicado, um acidente interrompeu o caminho, e muitas outras coisas mais podem atrapalhar aquele homem de chegar ao encontro na hora marcada. Mas com Deus isso não acontece.

Fé significa confiança, certeza de coisas que se esperam e plena convicção de coisas que você não vê. Se você está certo de que Deus não irá falhar em suas Palavras e promessas, então, sua sensação de angústia nada tem a ver com a sua confiança Nele. Você pode estar angustiado por diversos motivos, mas sua confiança na pessoa de Deus não vai mudar por causa disso. Assim, o escudo da fé é a sua confiança na Palavra de Deus, que você crê enquanto satanás continua falando calúnias contra você. Não se atemorize nem deixe seu coração enfraquecer. Por enquanto, você sabe que Deus tem uma palavra firme, que não muda, e vai fazer com que ela seja cumprida na situação que Ele mostra. Mas, mesmo assim, você precisará de uma arma de ataque. Não adianta ficar só na defesa, tem que atacar também.

Mas, lembre-se: atacar corretamente é o segredo. Não adianta atacar as pessoas. Elas não saberão por que estão sendo atacadas. Você tem que atacar o seu inimigo invisível, que lhe ataca com calúnias. Para caluniar, ele usa palavras também. Assim, você precisa de uma palavra mais forte do que a dele: a Palavra de Deus. Esta é a sua espada.

A Palavra de Deus é mais afiada que qualquer espada de dois lados; ela está apta a separar juntas e medulas, alma e espírito, pensamentos e propósitos do coração. Portanto, você deve conhecer bem a arma que vai usar para não se ferir com ela. Você pode ser ferido com a Palavra de Deus quando estiver andando no engano ou praticando a mentira. Portanto, o cinturão da verdade vai apertar você ao ponto de mantê-lo firme na frente de batalha. Ande na verdade e a Palavra de Deus não vai feri-lo. Então, ataque o Caluniador com firmeza. Em oração, fale o que a Palavra de Deus já marcou em seu coração, defendendo-se com seu escudo das flechas inflamadas que serão lançadas contra você.

Os dias que se aproximam são muito difíceis. Veremos violência, maldade e todo tipo de perversidade acontecendo ao nosso redor e até bem próximo a nós. Mas este é o sentido do juízo de Deus: limpar sua igreja.

O ourives lança fogo sobre uma pepita de ouro e este começa a amolecer. Em seguida, aumenta o fogo até que a sujeira comece a se separar do ouro. Ele retira a sujeira e aos poucos a pepita transforma-se em metal brilhante, polido. Assim que o brilho do metal for suficiente para que o ourives veja sua imagem refletida nela com toda limpidez, ele desliga o fogo e diz que o ouro está limpo. Assim faz o Senhor com seus filhos. Ele só vai desligar o fogo depois que vir a imagem de Cristo refletida neles.

Na palavra profética o Senhor também diz: “Àquele que tem será dado mais; mas àquele que pensa que tem e não tem, até o que tem será tomado”.

Isso ficará bem claro no decorrer destes anos que virão. Muitos dizem ser cristãos e ter uma fé inabalável. Estes, em sua maioria, esquecem-se de que a fé atua pelo amor, e que podem até transportar montes, mas, sem amor serão como o sino que toca no ar. Só barulho, nada mais.

Diz o Senhor que aqueles que têm fé e perseveram em Sua Palavra serão como as estrelas do céu.

Meu desejo é que você, leitor, seja abençoado e esteja bem preparado para estes dias e que, ao final, brilhe com os demais filhos do único Deus Vivo, que criou todas as coisas. Inclusive eu e você.

E se a batalha estiver muito difícil, veja este vídeo.

5 pensamentos sobre “A armadura de Deus serve em mim?

  1. Oi Euclides,

    Ouvi ao vivo, o programa do prof. Olavo com a sua mensagem.

    Graças ao Google, cheguei a este blog.

    Sou aluno do prof. Olavo, e admiro o trabalho do Julio Severo. Pela primeira vez, uma mensagem profética pareceu-me autêntica, graças a sua simplicidade e harmonia com a Sagrada Escritura.

    Acompanharei seu blog, com atenção. Aliás, você escreve muito bem.

    Tem e-mail para contato?

    Deus o abençoe.

  2. Oliveira Jr,

    Urbano Rural? (rsrs)…

    Certamente, colocarei o link original da postagem, o nome do blog [no seu caso, wordpress] e o autor do texto.

    Por falar nisso, posso incluí-lo na minha lista de “obrigatório” do Kálamos? Você não pode enviar o seu email para trocarmos algumas idéias?

    Fico no aguardo.

    Cristo o abençoe!

    Abraços.

    • Ha ha – Urbano Rural é histórico. Nasci na cidade e vim morar no campo depois de muitas provações. Aprendi a ser caipira e, como tal, a ver acontecendo as coisas que Deus criou. Com isso, entendi muito do que o Senhor falava e as analogias que fazia. Há uma realidade, um todo construído com a assinatura do Criador, a qual nos informa sobre o outro livro, anterior à criação: o Universo e a natureza terrena. Observando isso de perto, entendi que a fé é mais simples na prática do que na teoria, porque o que Deus criou é sólido e absoluto. As obras de fé, sobre as quais falou Tiago, são a experiência prática da certeza do absoluto que Deus criou. É mais ou menos como se alguém lhe informasse como dar a partida num automóvel: gire a chave que funciona. Por quê? Porque a eletricidade percorre o fio desde a bateria e aciona o motor de partida, que vai virar o motor, que vai fazer explodir o combustível, que vai fazer mover as peças, que vai mover as rodas e o carro vai andar. A Palavra de Deus é mais do que isso, mas também é isso: Deus fez assim, portanto, pode agir conforme Ele diz que será conforme Ele disse. Dar a partida é a obra de fé.
      Não é necessário nenhum exercício especial, nenhum esforço para crer, nada. Basta compreender que a criação é assim e nada vai alterar o que Deus disse. É mais profundo que isso e muito mais simples do que parece, mas é muito mais real do que pensamos. O pecado fez isso: tirou-nos a capacidade de entender a realidade criada, ficamos divididos entre o bem e o mal e não conseguimos fazer nem um milésimo do que Deus preparou para nós na criação. Jesus veio e rasgou o véu, e deu-nos uma nova vida Nele pela ação do Espírito Santo. Jesus é a plena manifestação visível do Deus invisível que veio em carne para nos salvar. Salvação compreende isso e muito mais. Eterno somos todos, e são aqueles que foram gerados no útero da mulher, mas vivos são apenas aqueles que passarão a eternidade junto à VIDA que é Cristo. Quem ainda não conhece a Vida, precisa conhecê-La urgentemente.

      Obrigado pela resposta no blog. Entrarei em contato brevemente em seu email. Hoje está um tanto complicado devido à conexão que está lenta e intermitente. Está funcionando aqui por motivos óbvios e absolutos.
      Fique na paz!

  3. Oliveira Jr,

    excelente texto.

    Tenho algumas divergências quanto ao viés escatológico do irmão, mas como não é a minha praia, pode ser apenas impressão ou imprecisão de minha parte. Quanto ao restante, concordo plenamente. Tanto que gostaria de republicá-lo em um dos meus blogs, caso me autorize.

    Cristo o abençoe!

    Grande abraço!

    • Estimado irmão Jorge Fernandes, obrigado por sua visita e pelo comentário. Autorizo a publicação, mas faça um link para este blog, a fim de que o seu leitor possa também avaliar o meu blog. Deus o abençoe.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s