Profetas, palavras e atos proféticos

Estive lendo por aí. Encontrei este blog. O tema é atual e merece que pensemos sobre ele. Há muito que a Igreja cristã, de modo geral, está se desviando da doutrina dos apóstolos.

Paulo escreveu aos coríntios que deve haver ordem no culto. No entanto, o que menos encontramos é ordem. E não me refiro a cânticos, mas às tais palavras proféticas. A todo instante ouve-se ‘Eu profetizo que…” e nada acontece, senão um gemer generalizado.

Há bem pouco tempo ouvi palavras proféticas que exterminavam o mal das grandes cidades brasileiras. No entanto, os maiores profetizadores da perfeição pelo poder das palavras não fizeram coisa alguma para que isso acontecesse. Então, penso que posso afirmar com segurança que a palavra profética nada mais é do que a sensível manifestação da preguiça: “Eu mando e Deus faz”. Pronto, tudo resolvido e todos estarão salvos amanhã cedo.  Sinto desapontar os crentes nestes credos, mas não é assim. E é bom que não seja assim.

Em primeiro lugar, precisamos entender que existem profetas atuando no Novo Testamento (NT). Logo no livro de Atos, vemos a atuação do profeta Ágabo.

“E, levantando-se um deles, por nome Ágabo, dava a entender pelo Espírito, que haveria uma grande fome em todo o mundo, e isso aconteceu no tempo de Cláudio César.” (Atos 11 : 28)

“E, demorando-nos ali por muitos dias, chegou da Judéia um profeta, por nome Ágabo;” (Atos 21 : 10)

Isto ocorreu logo que os discípulos, agora apóstolos do Senhor, começavam a divulgar as Boas Novas da salvação oferecida por Deus em Cristo no primeiro século.  Há que se notar que os apóstolos eram profetas também.

Logo depois disso, Paulo, escrevendo aos efésios, diz:

“E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres,” (Efésios 4 : 11)

O Senhor Jesus providenciou apóstolos para fundar, edificar e administrar ekklesias(1), profetas para mantê-las na doutrina que vem da Palavra de Deus, evangelistas para continuar a evangelização depois que os apóstolos partirem para novas missões, pastores para manter o rebanho unido e sadio e mestres, para expor o ensino correto do que Deus tem falado através dos séculos.

Todos exercem funções distintas mas com o mesmo propósito:

“Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo,” (Efésios 4 : 13)

No entanto, os cristãos têm invertido o sentido de dois ministérios: apóstolo e evangelista. De fato, se confundem um pouco, mas há uma diferença. O apóstolo é um enviado do Senhor e tem ministério itinerante. Evangeliza, ensina e estabelece a administração de uma nova igreja.  O evangelista, embora possa ter ministério itinerante, não se ausenta de sua congregação por muito tempo, pois é lá que atua evangelizando os ainda não salvos.

Contudo, não vamos entrar em detalhes sobre os ministérios e vamos nos concentrar no ministério de profeta, que é o tema principal desta postagem.

Está escrito:

“Não havendo profecia, o povo perece; porém o que guarda a lei, esse é bem-aventurado.” (Provérbios 29 : 18)

A palavra profecia origina-se do verbo profetizar, que significa ensinar, educar, exortar e também falar por antecipação, prever. Assim, todos podem profetizar, no sentido de ensinar e exortar e, em alguns casos, até falar algo por antecipação pelo dom de conhecimento.

E, achando discípulos, ficamos ali sete dias; e eles pelo Espírito diziam a Paulo que não subisse a Jerusalém (At.21:4).

No entanto, não são profetas com o ministério de profeta. Falarei mais sobre a pessoa do profeta logo mais adiante.

O pastor, o evangelista e o mestre profetizam naturalmente quando falam inspirados pelo Espírito sobre a Palavra de Deus revelada. O apóstolo profetiza e atua como profeta, falando também por antecipação. João é o maior exemplo que temos na Bíblia pois era apóstolo e é o autor do livro de Apocalipse. Paulo e Pedro são outros exemplos claros no NT.

Apocalipse é um  livro inteiramente profético, de ensino e exortação. Tudo ao mesmo tempo. E, neste mesmo livro, encontramos a chave para entendermos qual o campo de atuação do profeta propriamente dito:

“E eu lancei-me a seus pés para o adorar; mas ele disse-me: Olha não faças tal; sou teu conservo, e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus. Adora a Deus; porque o testemunho de Jesus é o espírito da profecia.” (Apocalipse 19 : 10)

O profeta, quando fala em nome do Senhor, levará o povo de Deus à adorá-Lo em espírito e em verdade e manterá vivo o testemunho de Jesus. Exortará à vigilância na Palavra, expondo por revelação as sutilezas do engano ao povo de Deus.

Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo (Ef.4:14,15).

O profeta que fala em nome do Senhor sempre levará o povo de Deus em direção a Cristo.

Há, porém, uma diferença entre o profeta do Antigo Testamento (AT) e o profeta do NT. No AT o profeta anunciava a vinda do Messias, o Filho de Deus, suas obras, seu sacrifício redentor, sua ressurreição e, na maioria das vezes, anunciava  sua volta em glória para juízo e instauração do Reino de Deus na terra.

O profeta do NT confirma a primeira vinda e toda a obra de Cristo e anuncia a segunda vinda. Mas, jamais escreverá uma nova revelação da Escritura Sagrada. A escrita da Bíblia terminou com o último apóstolo, João, que fechou o livro com a revelação de Apocalipse.

Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; e, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro. (Ap.22: 18,19)

Fica evidente que todos os demais livros estão fechados por uma razão simples: não vivemos diretamente com Cristo como viveram os primeiros apóstolos. Alguns dizem que Paulo foi uma exceção, mas não foi. Ele também conheceu o Senhor, pois viveu no mesmo tempo. Apenas não andou com Cristo como andaram os doze apóstolos. Porém, conheceu tudo o mais diretamente do Senhor depois de sua conversão no caminho de Damasco.

E sobre o testemunho profético do NT, nos diz Paulo:

“Mas, alcançando socorro de Deus, ainda até ao dia de hoje permaneço dando testemunho tanto a pequenos como a grandes, não dizendo nada mais do que o que os profetas e Moisés disseram que devia acontecer,” (Atos 26 : 22)

O campo de atuação do profeta deve estar dentro da Palavra revelada de Deus, por mais que traga alguma revelação sobre algo que está para ocorrer. Deus usa seus profetas para avisar ao povo o que está para fazer:

Certamente o Senhor DEUS não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas. (Am.3:7)

Apesar de o Senhor falar sobre o que está para realizar no meio do seu povo, sempre haverá pelo menos uma manifestação semelhante na palavra revelada, a Bíblia. Na maioria das vezes, o profeta anuncia juízos sobre os homens e sobre seu próprio povo, quando este se desvia e corre o risco de perder-se.

Contudo, o profeta também pode falar uma palavra específica a uma pessoa individualmente. O caso de Ágabo em At.21 é o nosso exemplo principal no NT.

E, demorando-nos ali por muitos dias, chegou da Judéia um profeta, por nome Ágabo; e, vindo ter conosco, tomou a cinta de Paulo, e ligando-se os seus próprios pés e mãos, disse: Isto diz o Espírito Santo: Assim ligarão os judeus em Jerusalém o homem de quem é esta cinta, e o entregarão nas mãos dos gentios. E, ouvindo nós isto, rogamos-lhe, tanto nós como os que eram daquele lugar, que não subisse a Jerusalém. Mas Paulo respondeu: Que fazeis vós, chorando e magoando-me o coração? Porque eu estou pronto não só a ser ligado, mas ainda a morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor Jesus. E, como não podíamos convencê-lo, nos aquietamos, dizendo: Faça-se a vontade do Senhor. (At.21: 10 a 14).

Há aqui uma indicação sobre este tipo de atuação: Quando o profeta se dirige a alguém com uma palavra específica, o ouvinte já foi alertado pelo Senhor em algum momento anterior. O profeta só vem para confirmar o que já foi dito.

Paulo já estava pronto até a morrer pelo nome do Senhor. O profeta só fez confirmar o que o apóstolo já sabia. O que vemos comumente em várias igrejas é a chamada ‘profetada’. Alguns irmãos, na maioria das vezes, tomados por forte emoção, chegam-se a outro irmão dizendo que Deus disse algo para suas vidas. Se o ouvinte já tem algo em seu coração relativo ao que está ouvindo, deve atentar e orar e, se for o caso, obedecer ao Senhor prontamente. No entanto, se a profecia nada fala, é uma surpresa para quem ouve, deve-se deixar de lado. Muitas vezes, a profecia deveria ter sido falada a todos e aquele a quem o Senhor queria falar ouviria. Mas a igreja não atua como Paulo ensina em sua primeira carta aos coríntios, portanto, muitas boas palavras têm sido deixadas de lado.

Porém, é preciso muito cuidado com esse tipo de manifestação. Paulo indica o caminho: se alguém orar em línguas estranhas, deve haver quem interprete no culto público. Se não há interpretação, demônios podem estar ali falando coisas horríveis e amaldiçoando a igreja. Esta é uma ordem a todas as igrejas de Cristo. Ou alguém fala cinco palavras inteligíveis ou que fique calado, falando consigo mesmo e com Deus. Falar em línguas sem interpretação genuína é sempre perigoso. No entanto, falar em línguas silenciosamente no culto público é correto e é ordem bíblica. Conferir 1Co.14: 27,28.

Dentro do culto público, também existem outras recomendações, inclusive para os profetas: Que falem dois ou três e os outros julguem – 1Co.14:29. Mas a recomendação ensina-nos a julgar a palavra falada, não o profeta em si. No caso específico do culto público, muitos podem profetizar segundo a ordem de Paulo aos coríntios. Não vou transcrever tudo para poupar tempo do leitor. Mas este deve conferir em sua Bíblia para compreender não só o texto mencionado, mas o assunto inteiro.

O profeta é um ser humano como qualquer outro. No entanto, por estar disposto ao Senhor e ser conhecido Dele, foi escolhido para exercer um ministério específico. Todo cristão tem um ministério, ainda que seja o de testemunhar sobre Cristo. No entanto, o ministério do profeta é diferente dos demais e exige muita responsabilidade.

O profeta não pode falar o que bem entender e deve saber disso. Deve, também, saber como atua e quais suas funções no corpo. Está escrito:

E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas (1Co.14:32)

Paulo nos dá ensino muito claro sobre a atuação deste ministro: o profeta deve saber quando é hora de parar.

Há dezoito anos, quando estava sendo ensinado no ministério, ouvi de um verdadeiro profeta do Senhor a seguinte ilustração:

“O profeta quando atua sob inspiração do Espírito é como um ventilador ligado numa tomada. Enquanto estiver ligado, o ventilador gira forte e não pára. Quando o desligamos da tomada, ele ainda gira por mais um tempo até parar de vez. E é neste ponto que o perigo começa. O profeta deve saber quando o Espírito deixou de inspirá-lo para falar. Isso só se aprende com o tempo, por isso existiam escolas de profetas no AT”.

Além disso, o profeta não atua como profeta 24h por dia. Com o tempo, o profeta se acostumará a conversar com o Senhor todo o tempo, mas não falará por inspiração todo o tempo. No AT vemos os profetas vestidos de um manto, uma túnica pesada ou, como João Batista, uma pele animal. Há um sinal nisso: quando o Espírito Santo atua no profeta e inspira-o a falar, o profeta percebe que há como que um peso sobre seu corpo. Parte é a sensação humana e parte é a sensação espiritual. Em ambos, significa responsabilidade extrema.

O profeta não tem seus modos alterados, tampouco sua voz. Quem fala é o profeta, não o Senhor, nem o Espírito.  A inspiração pode vir de várias formas, e o Senhor ensinará aos seus servos o modo como falará com eles. Cada profeta pode ‘ouvir’ do Senhor de uma forma diferente.

O profeta percebe coisas de modo diferente também. Todo cristão já teve a experiência de ser tocado pelo Espírito quando estava lendo um texto bíblico e algo lhe salta aos olhos. Chamo isso de ‘carimbada do Senhor’. O motivo é simples. Um carimbo contém muitas informações escritas nele. Quando untado com tinta e encostado no papel, transfere todas as informações de uma só vez para o alvo. Depois, podemos ler o que estava escrito e nos informarmos completamente. Assim é um dos modos mais comuns de o Espírito nos falar. E esta manifestação ocorre com mais frequência quando lemos a Bíblia. Porém, pode ocorrer quando lemos ou ouvimos ou vemos qualquer outra coisa em nossas vidas. Na vida do profeta isto ocorre com mais frequência.

Todavia, o profeta não nasce profeta. Ele é chamado, capacitado, recebe dons e é treinado pelo Senhor. Pode ser diretamente ou através de outros servos Dele. Eu recebi uma parte de um servo do Senhor e o restante através do estudo da Palavra e também diretamente do Senhor.

Mas isso não significa que o profeta sabe tudo com ausência de erro. Se fosse assim, Paulo não diria que os outros devem julgar a palavra dos profetas no culto público. O profeta também se engana, pois é homem comum. No entanto, o profeta não deve falar além do que sabe com total segurança. O silêncio pode ensinar mais do que as palavras. Como o profeta acaba sendo considerado um indivíduo confiável, o inimigo ronda-o tentando constantemente fazê-lo ensoberbecer-se por ter sido chamado por Deus. Por isso, os jovens e os neófitos não devem aventurar-se a sair profetizando sem experiência, pois podem acabar incorrendo na condenação do diabo – a soberba. Isto é muito comum e perigoso.

Se alguém fala sem saber e leva alguém a perder sua fé, responderá pelo erro do outro, conforme está em Ez.33 (aconselho ler o capítulo todo). Não é impossível que um jovem profetize, como ocorreu com Samuel, mas não vemos isso com frequência na Palavra. Que me lembre no momento só ocorreu com este homem de Deus.

O profeta precisa amadurecer e ser ensinado pelo Senhor. Conforme se dispõe, vai aprendendo a entender quando e como o Senhor fala. Mas só com o tempo e a experiência é que começa a ocupar seu ministério.

Todo aquele que tem chamado de profeta deve acostumar-se a anotar tudo quanto o Senhor lhe diz. Saiba que o inimigo vai tentar imitar o modo como o Senhor fala, e é preciso atenção nisso também. Por este motivo, os recém chamados não devem atuar diretamente no meio da Igreja. O profeta deve anotar tudo para conferir na Palavra se o que está sendo dito tem paralelo revelado. Muitas vezes tem algo semelhante, mas não se trata do mesmo assunto. Jesus foi tentado pelo diabo e este também lhe disse:

E disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo; porque está escrito: Que aos seus anjos dará ordens a teu respeito, E tomar-te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra.” (Mateus 4 : 6)

Mas o Senhor respondeu:

7 Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus.

Portanto, o profeta precisa conhecer bem a Palavra de Deus para evitar ciladas.

A vida do profeta geralmente é uma vida normal, porém, este sente muita sede da Palavra de Deus constantemente. Se assim ocorrer, esteja sempre com uma Bíblia, caderno e lápis por perto, nem que seja no banheiro. O Senhor fala em qualquer lugar.

O profeta deve ter uma vida de oração constante. Não se incomode em ser pego ‘falando sozinho’. Recitar a Palavra para si é um ótimo meio de compreendê-la e ser ensinado pelo Senhor. Isto serve para todos, não só aos profetas. E não se assuste se, ao estar lendo uma carta de Paulo começar a entender tudo como se fosse uma profecia de Isaías.

Isto já ocorreu comigo quando lia Filipenses 2. Até hoje a palavra dada naquela ocasião permanece. Observe que em Filipenses não há nada escrito deste modo:

“Meu povo está colocando doutrinas humanas e palavras de demônios junto com a minha palavra. Eu não admito isso e, se não me ouvirem e se arrependerem e se voltarem somente à minha palavra, eu virei com juízos”.

No entanto, eu lia uma coisa e compreendia outra. Isso ocorreu por duas vezes há aproximadamente 18 anos até que entendi que era o Senhor falando comigo. Então, corri apanhar papel e lápis para anotar tudo.

Este, porém, não foi meu chamado. Noutro post futuro pretendo colocar um áudio no qual darei meu testemunho. Estou com cinquenta anos e, apesar de ter sido chamado há dezenove anos, ainda não me sinto completamente capaz de atuar no ministério. Assim, digo aos que foram chamados para este ministério que esperem sempre pela palavra do Senhor. Quando chegar a hora certa, Ele dirá e fará conforme a Sua vontade. Esta deve ser uma observação para todo tipo de ministério, mas para o profeta é ainda mais necessária.

Quanto à vida do profeta, é importante dizer que é um atalaia. O atalaia é aquele que Deus coloca sobre um monte e ordena que fique vigiando o horizonte. Se vir alguma poeirinha levantando, deve tocar sua trombeta de alarme para que o povo se prepare para a batalha. Isto exige treinamento, pois o som da trombeta não pode ser confuso.

Os profetas também não são muito bem vistos pelos que estão fora da Palavra ou por aqueles  que estão se desviando da sã doutrina dos apóstolos. No entanto, aqueles que têm o Espírito e não O calaram durante suas vidas, ouvirão e entenderão.

Quando o Senhor inspira o profeta a falar por antecipação, predizendo o que o Senhor fará, ele sempre falará o que ouviu da boca do Senhor, conforme está em Ezequiel 33. Este ouvir é como o ouvir humano, só que não vem pelos ouvidos naturais. A voz do Senhor é diferente, mais forte, tem autoridade, poder e conforto ao mesmo tempo. Pode assustar da primeira vez, mas o profeta deve provar a voz que lhe fala. Sendo o Senhor a falar, Ele não se importará que O provemos, pois deixou isso escrito em sua Palavra.

Amados, não creiais em todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.  Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo (1Jo.4:1 a 3).

E aqui deixo claro que Jesus é o Cristo que havia de vir, e sendo o Filho de Deus, veio em carne; e sendo Deus, não usurpou seu direito de ser igual a Deus, mas viveu como servo e homem, e  morreu numa cruz, dando seu sangue para remissão dos pecados. Ao terceiro dia ressuscitou e foi visto por várias testemunhas. Logo depois, voltou ao Pai e foi recebido na glória, onde entrou no Santo dos Santos celestial oferecendo-se de uma vez por todas em sacrifício pelos pecados, e seu sacrifício foi aceito pois não tinha pecado nenhum. Consumada a obra de salvação, enviou-nos seu Santo Espírito e hoje está à destra de Deus e foi feito Senhor sobre todas as coisas até que chegue o dia no qual voltará ao Pai. Voltará uma segunda vez em glória e para exercer juízo sobre a terra. Quando vier, ressuscitará os mortos que nele creram na primeira ressurreição, que será a dos justos.

Isto os espíritos malignos não confessam pois estão proibidos de fazê-lo. Eles só podem mentir, e esta é a Verdade revelada. Cristo é a maior revelação que os homens tiveram até hoje, e o será eternamente. Portanto, todo cristão deve estar firmado Nele e em Sua palavra. Nada além nem aquém.

Outro ponto importante: o profeta nem sempre age como o cristão normal e nem sempre tem aparência exterior de santidade. Os exemplos estão na Bíblia, dentre vários, o de Isaías e Oséias.

Isaías pregou nú (provavelmente vestido como um lutador de sumô) – Isaías 20: 1,2 e Oséias casou-se com uma prostituta e fez o que não era para ser feito por um sacerdote de Deus no AT. Eliseu também não tinha aparência de santo, o mesmo ocorreu com João Batista. Portanto, não tente se mudar exteriormente para se parecer profeta. Seja você mesmo, pois se Deus o chamou desta forma é por  que Ele viu seu coração, não sua aparência.

Mais uma coisa: geralmente os profetas são rígidos e falam com autoridade quando inspirados pelo Senhor. Isso não significa que o profeta tenha que agir com falta de educação. Entretanto, jamais deve contemporizar (entrar em consenso) com o inimigo ou com qualquer outro que o afronte ou contradiga. Se está absolutamente certo de que a palavra foi dada pelo Senhor, mantenha-se firme nela, custe o que custar.

Os profetas geralmente são vistos como pessoas pessimistas, pois não costumam falar de coisas boas. Isso não é verdade. Ocorre que o profeta vê a maldade humana, as ações malignas e os erros do povo de Deus com mais facilidade e, por causa disso e por estarem sempre vigilantes, alertam sobre os perigos que estão vindo, os que já estão em andamento e sobre os juízos que virão porque o povo está se desviando da Verdade que é Cristo. O objetivo é sempre conduzir o rebanho para o Único Pastor: Jesus.

O Senhor também irá provar seu profeta antes que este atue. A provação pode vir em forma de problemas durante a vida, mas não desanime. Deus é fiel e sempre termina a obra que começou. Se ocorrer de ser provado tendo que optar por família, bens, amigos, filhos ao invés de ficar com o Senhor, largue tudo e fique com o Senhor. Tudo o que é bom, perfeito, correto e virtuoso e é da vontade de Deus será seu se você abandonar tudo por causa de Cristo – mas somente se Ele lhe puser à prova nesta questão! Não é porque você foi chamado que tem que abandonar esposa, filhos, mãe, pai, irmãos. Nesses casos, o Senhor não só fala mas também confirma. Não tente se aproveitar do chamado para fazer o que bem quiser. Isto é errado!

Se isso chegar a ocorrer, pode estar certo de que o Senhor vai falar antecipadamente, no mínimo, em sonhos. Lembre-se do que disse José a faraó:

E que o sonho foi repetido duas vezes a Faraó, é porque esta coisa é determinada por Deus, e Deus se apressa em fazê-la  (Gn.41:32).

Este é um modo de o Senhor falar a todos, mas mais especificamente aos seus profetas sobre quando Ele vai agir. E pode ser para qualquer coisa da vida, não só para falar por antecipação.

E, finalmente, deixo uma palavra para mostrar como o Senhor costuma falar com seus profetas. Os maiores exemplos estão na própria Bíblia.

“Atenta para o que vou dizer: Em três anos o mundo passará por novo colapso financeiro. Desta vez será por minha mão. Eu tornarei o fraco em forte e o forte eu abaterei. Derrubarei o altivo e meu povo se levantará. Os que são meus brilharão como as estrelas no céu. Os inimigos cairão pela espada e lá ficarão. Onde caírem, ficarão. Ao longo do tempo eu direi o que devem fazer os que tenho chamado. Prepara-te, pois, para a batalha espiritual que se travará. Eu digo que o inimigo não tocará em nem um só fío de cabelo das vossas cabeças, mas ele destruirá os que se chamam pelo meu nome e não são meus. Mais uma vez vereis a diferença entre o justo e o ímpio e eu vos mostrarei que não tolero quem mistura a minha palavra com doutrinas humanas(*). Anuncie isto: Daqui a três anos quem tiver ser-lhe-á dado mais; quem não tiver, até o que tem lhe será tomado. Se o povo que se chama pelo meu nome não me ouvir e continuar resistindo à verdade, eu não o pouparei dos meus juízos. Derreterei sua dura face de pedra e farei monturos de lixo com os que sobrarem. Muitos se converterão e muitos hão de se perder. Mas os que confiarem em mim permanecerão para sempre. Atenta, pois, ajudarás a teus irmãos. Eu providenciarei tudo o que for necessário para os dias que virão, de tal forma que tudo lhes será suprido.Aquele tempo será breve, mas colocará o mundo inteiro de joelhos diante de mim. Não temas, pois eu sou contigo”.

Esta palavra me foi dada em 06/07/2009. Agora, compare com esta que encontrei semana passada.  Eu não conhecia esta palavra até uma semana atrás e só vim a conhecê-la por estar procurando um amigo na internet que há muito tempo não encontro, o qual reside em Salvador. Achei-o e com a indicação, esta palavra profética do pastor Wilkerson.

O objetivo de ambas é o mesmo: que a Igreja se volte para Cristo urgentemente. O filho de Deus deve orar e buscar orientação do Senhor quanto ao que está ocorrendo em sua igreja. Se a igreja não estiver firmada na Palavra,  estiver cheia de invencionices, falsas doutrinas humanas e fábulas sobre a fé, veja o que o Senhor diz, ensine quem o Senhor indicar e, se for o caso, saia dela o quanto antes. Se não encontrar outra igreja séria, firmada na Verdade, fique só, ande na Palavra, ore constantemente ao Senhor Jesus e vigie. A menos que o Senhor diga claramente o que fazer, não mude a sua vida! Não saia do emprego, não deixe de fazer o que está fazendo, não abandone sua família, não saia por aí fazendo loucuras. O Senhor cuida dos seus e sabe como ensiná-los a andar corretamente. Basta ouví-Lo e manter-se fiel à Sua Palavra revelada: a Bíblia. Ele apenas exorta para que seus filhos voltem para a pureza da doutrina dos apóstolos, sem invencionices. Se o povo que se chama pelo Seu nome O ouvir, arrepender-se e voltar-se para a Sua palavra, o Senhor pode retardar ou até mesmo deixar de enviar os juízos que prometeu, como fez com Jonas. Lembre-se: Não temas, eu sou contigo – diz o Senhor.

Se tiver qualquer dúvida, escreva um comentário e responderei se souber. Não tenha medo, pois o amor lança fora o medo. Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito para que aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

(*) O socialismo é uma das doutrinas malignas que tem se infiltrado na igreja e visa torná-la apóstata, desviada da verdade, gerando ódio e vingança no meio do povo de Deus. Veja logo abaixo no post “Comentários Blog de Julio Severo?” que no final há o link para baixar um livreto sobre quem foi Karl Marx, o autor da doutrina socialista/comunista (Era Karl Marx um satanista? – Richard Wurmbrand). Procure também na internet quem foi o pastor Richard Wurmbrand, pois ele foi torturado pelos comunistas e conta histórias terríveis de como eles agem. É bom aprender para saber e ensinar.

(1) Usei o termo ekklesia para distinguir entre a Igreja invisível de Deus e as denominações que fazem parte desta igreja. A Igreja invisível é única, e não tem denominação. Chamo as denominações de ekklesias. Como é sabido de todos, dentro das igrejas encontramos  convencidos pelo Espírito Santo e convencidos pela retórica do pregador e, até mesmo, amedrontados por acharem que, frequentando uma igreja cristã, encontrarão salvação. E, infelizmente, encontramos também – e principalmente – os lobos roubadores, os contadores de fábulas e os dissimulados servidores de satanás. Estes são perigosos, pois tem aparência de santidade mas são lobos que só querem a confusão no rebanho para poder atacá-lo mais intensamente. Para melhor compreensão do que o Senhor tem alertado, lembre-se dos termos usados pelos socialistas: justiça social, capitalistas, crentes retrógrados, teóricos da conspiração, fundamentalistas, nazistas, fascistas, igreja social, com propósitos sociais, etc.

OBSERVAÇÃO FINAL: Não revisei o que escrevi numa sentada só. Se encontrar erros ou qualquer coisa que atrapalhe o entendimento correto do que está escrito, me avise por favor.

4 pensamentos sobre “Profetas, palavras e atos proféticos

    • Olá Eliane! Obrigado por visitar o blog e comentar.
      Quando uma igreja prega incorretamente a Verdade revelada nas Escrituras, procuramos outra igreja. Mas quando as igrejas não estão pregando a Bíblia corretamente (numa cidade pequena, p.ex., onde existem poucas igrejas), o melhor é ficar longe dos falsos ensinos. Eles nos contaminam e podem nos fazer agir e viver de forma contrária ao que o Senhor quer.
      O único modo correto para saber se as pregações estão ou não de acordo com o Senhor é ouvir o Espírito Santo em nosso coração.
      Quando somos honestos e sinceros com o Senhor e vivemos em humildade diante Dele, certamente Ele nos falará e saberemos que a pregação não veio Dele.
      De qualquer forma, jamais podemos deixar de estudar as Escrituras e não podemos deixar de orar. Servir ao Senhor não é como queremos, mas como Ele – o Senhor – quer.
      Não é fácil ficar só, mas se não houver outra saída, fique só e continue orando para que o Senhor levante uma igreja séria onde possa congregar.
      Mantenha-se fiel ao Senhor e à Sua Palavra, pois Ele é fiel aos que conhece e são Dele.

      Abraços fraternos.
      Fique na paz!

  1. Amado Euclides,

    Obrigado pelas palavras de encorajamento lá no blog (http://justificaçãopelafe)…

    Aqui vim aqui fazer o mesmo…

    Creio que a 2ª reforma protestante está a caminho e pelo que percebo você é peça importante nessa guerra pela sã doutrina e pela Verdade Absoluta que é a palavra de Deus…

    Minha proposta é sempre que pudermos combatermos os maus costumes e vícios que adentraram nas igrejas pentecostais e neo-pentecostais, que a cada dia se distanciam mais do verdadeiro evangelho.

    Sinceramente, acredito que a igreja hoje deve voltar-se para a palavra de Deus e para a prática do amor, ao invés de ficar o tempo todo buscando línguas estranhas e profecias. Acredito que a distribuição de dons sobrenaturais pelo Espírito Santo deve ser algo natural. A igreja busca o sobrenatural e não consegue viver naturalmente o cristianismo: despreza a palavra, buscando experiências sobrenaturais; despreza o perdido e às vezes deixa-o mais perdido ainda e não pratica de forma alguma o amor, porque quer as bençãos de Deus para si e não divide com ninguém…

    Pois é meu amigo, os dias estão difíceis…

    Entretanto, os valentes como você, não se abalam, mas permanecem para sempre…

    Grande abraço e nos faça uma visitinha depois…

    Até mais!!!!!!!

    • Caro Elias, obrigado por comentar o que escrevi e pela visita aqui. Escrevi o que penso, sem afetação alguma. Minha luta, como deve ser a de todo cristão – e é a sua -, não é contra o sangue e a carne, e faço o possível para tornar conhecido o que já conheci. Sei que nem sempre estou coberto de razão, mas busco andar na verdade. Uma das coisas que mais aprendi nesses anos todos é que precisamos aprender quem somos de fato. Precisamos saber que existe a verdade absoluta e que, dela, tudo o mais depende. Está escrito: “Examine-se, pois, o homem a si mesmo e então coma do pão e beba do cálice”. Este é o maior exemplo que temos para compreendermos quem realmente somos e quão verdadeiro é Deus, que se revelou nas coisas criadas, em Sua Palavra e, mais do que tudo o mais, em Cristo, em quem nos espelhamos para a perfeição. A igreja precisa voltar ao primeiro amor, estamos cientes disso. De fato, os dias estão difíceis, mas não há dificuldade alguma para Aquele que É. Ele venceu e nos convida para participarmos da Sua vitória. Se aceitamos participar dela, permaneceremos para sempre, e com Ele. Que lhe sejam abundantes graça e paz.
      PS: Desculpe o atraso na resposta, mas a Vivo atua mais morta do que atenta à minha conexão, como se viva fosse.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s