Auxílio ao evangelismo

Caros leitores do blog,
tenho recebido mensagens de pessoas querendo ofertar a mim pelo meu trabalho sobre sonhos e demais profecias dadas pelo Senhor, e não tenho aceitado pois não tenho essa orientação dele. No entanto, há pouco tempo recebi o pedido de auxílio de uma irmã evangelista, que está necessitada e não tem como obter ajuda no momento. Não posso publicar seu nome e localização por razões de segurança. As doações podem ser feitas na conta abaixo, os valores serão entregues a ela. Ela necessita de U$130,00 (cento e trinta dólares americanos) por mês, algo em torno de R$ 680,00.

Se você tem como ajudar e pode fazê-lo no momento, peço que a ajude. Se puder, assuma um compromisso mensal com um valor possível para você.

Pix CPF 04771983925

09-15-2021

Lendo o livro de Jeremias, a partir do capítulo quarenta e dois, conforme a palavra do Senhor, ele começou a falar comigo, dizendo:

Eu tenho um exército adormecido neste mundo. Quando eu o chamar, levantar-se-ão todos à uma, e todos os que hoje riem, chorarão. Derramarão suas lágrimas debalde, pois não ouvirei um só clamor, nem dos maiores nem dos menores.

Deixei que viesse a maldade, para que os que a propagam mostrassem seus rostos e que todos pudessem saber quem é a Babilônia, a mãe das meretrizes. Não temas para o que estou para fazer, filho que me ouve. Num só dia eu limparei o mal que assola a terra em vossos dias, e não terei misericórdia dos que praticam a iniquidade e afrontam o meu nome. Não me apiedarei dos fracos que mantém o mal em seus corações e que seguem a maldade, obedecendo ordens daquele que não é Deus.

Pesarei minha mão e não a levantarei até que tenha executado os meus juízos, pois eu sou o Senhor e não mudo. Minha palavra não voltará para mim vazia e executará tudo quanto determinei. Aguardai, povo meu, um pouco mais. Este tempo será breve e nele vos regozijareis, pois vereis a minha mão. Mantende-vos diante de mim e não vos afasteis, pois eu livrarei somente a estes.

Então, perguntei ao Senhor: -Serão dias difíceis, Senhor? – E o Senhor me respondeu: –Não para os meus filhos.

Louvemos ao Senhor, que se lembrou de nós e nos livrou. E o Senhor continuou, dizendo:

Os filhos do Oriente se aquietarão e temerão o que estou para fazer. Os filhos do teu povo, em teu país, os que temeis o meu nome, estes verão que sou eu quem dirige as nações e sou eu quem decide a sorte dos povos. Aquele que me ouve, entenderá.

08 – 05 – 2021 – Palavra profética e exortação

08-05-2021

Filho, anota o que te vou dizer e entrega ao meu povo, àqueles que me ouvem e me adoram em espírito e em verdade.

Povo meu, eu não me esqueci de vós, que me adorais em espírito e em verdade. Tenho permitido que o mal avance, mas ainda não é o fim. Há muitas coisas que ainda devem acontecer antes da minha vinda em glória, e vão acontecer pois estão determinadas. Eu não abandono o meu povo.

Aqueles que são chamados pelo meu nome e meus não são não entenderão as minhas palavras, pois lhes falta a sabedoria que vem do meu Espírito. Eu sei o que vos aflige e vos digo que breve voltarei, mas ainda não é agora. Tereis tempo para ver o começo das últimas chuvas1 e muitos de vós participareis delas, e vos encharcareis com a alegria que vos darei. Porém, muitos não entenderão e relutarão em aceitar o que enviarei ao mundo.

Eu vos prometo que haverá tempo de paz ao meu povo em meio à guerra espiritual que se travará. Ainda tenho muito povo nesta terra e os chamarei a mim com grandes sinais do céu e prodígios na terra2. Os que comigo andam e me são fiéis farão proezas no meio deste mundo decaído, e tudo farão em meu nome, sob o comando do meu Espírito3. Derramarei o meu amor entre vós e, em poder, o mundo tremerá. Reinos e reis4 cairão aos pés daquele que, com sangue, os remiu numa cruz, e então virá o fim5.

Até lá, levantarei servos e servas que me servirão em fidelidade, e que darão suas vidas em glória para que muitos sejam salvos. Não morrerão, mas se dedicarão totalmente ao meu reino e a mim, e eu os honrarei e os glorificarei na minha vinda.

Atentai para o que começarei a fazer brevemente, e alegrai-vos. O grande Eu Sou está agindo e o mal, que permiti atuar para julgar, dará lugar ao bom e justo sob minhas vistas. Levarei muitos à verdade e dela não se afastarão nem dela se enganarão. Serão fiéis e virão em cânticos à minha presença, e o mundo ouvirá. Tão somente vos digo que não deveis temer o que ainda resta dos meus juízos, pois ainda alguns dos meus eu tirarei desta terra e não estarão mais entre vós. É necessário que assim seja, e assim será. Tão somente vigiai e orai, porque ainda o vosso inimigo está solto e, como leão, procura ansiosamente uma presa para devorar.

Em breve meu povo ficará forte e ativo, e o inimigo subirá para afrontar o Príncipe dos meus exércitos6 e cairá na terra, ele e seus anjos. Com ele trará a terça parte das estrelas do céu e as pisará, e só assim poderá prevalecer7. Mas será por pouco tempo, e lá não estareis. Eu usarei meu povo para preparar lugar para os que entrarem naquele tempo, a fim de que encontrem refúgio nestas terras onde habitais. Aos que vierem, eu protegerei e alimentarei por um tempo, tempos e metade de um tempo, até que eu venha.

Estai atentos e vigilantes, porque vos moverei de lugar, porque moverei esta terra de lugar, e prepararei lugar isolado8 para aquele povo que virá. Atendei ao meu chamado, pois em meu Espírito os guiarei, a fim de que meus juízos não vos apanhem de surpresa. Meus juízos virão e limparão muito desta terra onde habitais, e ela se tornará esquecida e desolada, para que meu povo venha a seu tempo e a encontre assim.

Atentai! Atentai, povo meu! Eu sou o Senhor e vos quero bem e não mal. Se bem me ouvirdes, a seu tempo nada sofrereis. Porém, aos que não me ouvirem digo que cairão em laços que a terra fará, e desta não escaparão. Os meus fiéis e íntegros ouvirão e meu Espírito os guiará para lugares seguros.

Ao fim de setenta anos eu me lembrarei deste lugar9 e para esta terra enviarei servos e servas que a prepararão para os dias que antecedem a minha vinda. Quero que saibais disto para que não fiqueis a especular se o Iníquo já foi revelado e aqueles dias já são chegados. Sim, estão perto, mais perto do que estavam quando subi ao céu e me assentei no trono de meu Pai, à sua direita, e cá estou a interceder pelos que o Pai me deu, e são muitos.

Apenas atentai às minhas palavras e ireis bem. Eu sou o Senhor e não mudo.

1Os.6: 1 a 3 – dois dias = dois milênios; ao terceiro nos curará = a vinda do Senhor se dará no terceiro milênio; chuva serôdia = chuvas tardias, depois das chuvas no tempo normal, que aconteceu no primeiro século. Também Jr.5:24 e Joel 2:23.

2At.2:43; 4:30

3Hb.2:4

4Mc.13:9; At.9:15

5Mt.24:14

6Dn.8:10 a 12

7Ap.12:4, 7 a 9;

8Ap.12:14 – Número Strong 2048 ερη μος = eremos – 1) solitário, abandonado, desolado, desabitado1a) usado para lugares – foi traduzido como deserto no versículo citado.

9Is.23:15 a 18 – Quando ouvi essa palavra do Senhor não entendi a ligação entre a cidade de Tiro e o Brasil. Orei e o Senhor me mostrou que há muito tempo veio até aqui um príncipe cananeu – Badezir – que era príncipe de Tiro, e tomou posse desta terra. Os povos cananeus foram denominados fenícios pelo gregos. Para quem quiser pesquisar mais, procure sobre a Pedra da Gávea e Badezir, no estado do Rio de Janeiro. Há nela inscrições atestando que esse príncipe cananeu esteve aqui. Pode ser pesquisada também a Pedra da Paraíba, onde os fenícios escreveram sua viagem, atestando a mesma visita. Ao leitor que quiser ir além, observe também o capítulo 24 de Isaías e veja que, nele, o Senhor trata dos dias finais, falando inclusive sobre mexer nos fundamentos da terra. Para mim, a profecia fez muito sentido, inclusive perante outras que o Senhor já falara antes. Em Ap.12 está escrito que o Senhor preparou lugar para a mulher vestida do sol. Abaixo um vídeo com fontes históricas sobre o tema:

__________________________________________________________

Editado em 13/05/2021: O vídeo abaixo contém estudos de outros irmãos a respeito dos dias finais e do milênio. O que me chamou a atenção foi o fato da figura de Raabe, como aquela que escondeu os espias de Israel em Jericó, se encaixar com precisão nessa profecia, a qual tem referência em Isaías 23. É uma live longa mas compensa assistir para fechar o entendimento a respeito desse assunto profético e tão importante em nossos dias. Esses irmãos estudam esses assuntos há anos e agora estão trazendo o entendimento que receberam do Senhor para nós. Se puderem, inscrevam-se nos canais deles e também no canal Reino Eterno – Luis Shimoyama – todos no Youtube. Eles tratam de assuntos complexos que, via de regra, demoramos para pegar o fio da meada. Como têm o chamado de Mestres, trazem revelação do que já foi dito pelo Senhor nas Escrituras, e tenho visto como corretos em função do que o Senhor tem dito a mim desde quando fui chamado, há quase 30 anos, no ministério profético (Ef.4:11). Se necessário, assista aos vídeos anteriores e siga o entendimento desde o início. Vai valer cada segundo. Deus os abençoe!

15-04-2021

Ouve e anota o que te vou dizer. Tenho muito povo a salvar neste lugar, mas é povo relapso, que foge das minhas palavras porque tem preguiça em obedecer. Povo que quer bênçãos e cura mas não é forte de caráter. Serei duro num momento para mostrar misericórdia, porque não os quero perder. E tudo isso será breve.

Chamados e exortações

06-04-2021

Ouve e anota o que te vou dizer. O que está para acontecer ao mundo é uma grande transformação. Eu mudarei a maldição em bênção e livrarei meu povo do mal que enviarei. Ao meu povo, que hoje é perseguido, eu darei tempos de refrigério, porém muitos eu levarei desta terra. É necessário que isso aconteça para que a minha vontade seja feita.

Muitos dos meus profetas sabem destas palavras que hoje te dou, mas não atentam para elas. A muitos tenho chamado, a vários tenho ungido mas eles não profetizam porque lhes falta fé. Não creem que sou eu, Eu Sou, quem lhes está falando. Os que creem verão a minha glória quando chegar a hora. Estes entenderão o caminho que lhes apontarei e chamarão minhas ovelhas dispersas, que os hipócritas, os cínicos e os falsos profetas espalharam por riquezas deste mundo. Destes não me apiedarei. Está chegando a hora quando estes, que se enriqueceram fraudulentamente, se levantarão pela manhã e de seus leitos ricos passarão a andar como miseráveis. Farei que comam o pó da terra, como a serpente que amaldiçoei no meu jardim, e dele não mais se levantarão.

Estou levantando pastores que me ouçam e, em obediência, apascentem as minhas ovelhas, curem suas feridas, untem-nas com óleo santo e as mantenham em paz no meu aprisco. Os mansos herdarão a terra e estes serão os que escolhi para esta hora.

Chamei e ungi evangelistas para que me tragam as ovelhas perdidas que ainda não me conhecem. A estes darei dons e farão a minha vontade em meio aos que não terão mais oportunidades. Estas lhes foram dadas e foram rejeitadas, portanto não entrarão no meu reino. Serão vistas pelas suas obras na segunda ressurreição. Não deveis temer, ó pequeno povo, pois o Senhor dos Exércitos está convosco. Eu os levarei a lugares de paz, os quais determinei que fiquem longe, afastados dos juízos que enviarei. Lá me servirão e aprenderão de mim. Quando eu os enviar saberão que Eu Sou estará com eles. Os que permanecerem continuarão fazendo a minha vontade e o fruto do seu trabalho será conhecido por muitos. Grande será esta obra das minhas mãos, e eu ajuntarei aqueles que enfrentarão os últimos dias para que se alimentem desses frutos.

O mal avançará de outra maneira, a que eu permiti, então virá o fim. Muitos de vós não alcançarão aqueles dias, mas eu estarei com os que lá chegarem. Os que de vós vierem chegarão perto e, se me ouvirem, eu os livrarei.

Vai, profetiza e muitos ouvirão! Os que duvidarem das minhas palavras na boca dos meus profetas eu farei que saibam que um profeta do Senhor andou entre eles. Os pastores que não apascentarem conforme a minha palavra não serão apascentados, e os que não pregarem segundo a minha justiça não receberão seu galardão.

Não temas, pequeno povo, pois brevemente sereis grande. Eu moverei nações, derrubarei príncipes e levantarei reinos, os quais farão o que lhes foi designado para o fim.

Eu sou Deus e não mudo.

Tempos difíceis

23 de outubro de 2020

Filho, ouve e escreve o que te vou dizer sobre o que está para vir.
Eu permiti que o inimigo ataque novamente, conforme eu disse em outras ocasiões, e tu anotaste. Isto é parte dos meus juízos e também mais uma preparação para os dias finais. Este tempo ainda não é chegado mas usarei estes dias que virão para ensinar meu povo, aquele que me ouve e obedece. Tudo já foi previsto na Escritura da Verdade e aqueles que atentam para ela, conforme o meu chamado, entenderão do que se trata. Ouve, povo meu! Ainda não é o fim. Sim, está mais perto agora, mas ainda não é o tempo. Ainda tenho muito povo a chamar, portanto, tranquilizai-vos e ficai em paz.
Contudo, deveis preparar-vos para algumas situações, as quais já foram anunciadas pelos meus servos, os profetas. Os alimentos ficarão caros e escassos em muitos lugares; a água secará; nas cidades haverá confusão e caos; a desordem imperará. Sabei, pois, que Eu Sou o Senhor e estarei com o meu povo em poder, e o protegerei.
Sede sábios e vigilantes, porque vosso Adversário estará a espreita para, se possível, derrubar alguns. Não temais, povo meu, vós sois a menina dos meus olhos e ninguém os tocará, se me obedecerdes. Eu guiarei cada um de vós pessoalmente, e indicarei o caminho que deveis tomar em meio à confusão que se instalará. Esse tempo será curto, como já revelei antes, mas será danoso. Muitos perderão suas vidas pela loucura do engano, e vários perderão sua eternidade em salvação. O inimigo será derrotado mais uma vez, porém, a batalha será intensa. Preveni-vos com o que é necessário, eu vos darei entendimento para isso.
Alguns eu mesmo tirarei desta terra, porque quero-os comigo. Não deveis desanimar, porque a vossa redenção se aproxima. Naquele dia virei em poder e glória com fogo consumidor e provarei a obra de cada um. Será como se passásseis pelo fogo mas este não vos atingirá. No entanto, vossas obras serão provadas e eu darei o galardão a cada um conforme suas obras. Meu servo Paulo já vos alertou disso e eu vos reafirmo para que aproveiteis o tempo que resta para edificardes vossos irmãos. Dirigi-os a mim, que sou manso e humilde de coração, e os guiarei para a minha paz.

————————————————————————————————
Difficult times


October, 23, 2020

Son, listen and write what I’m going to tell you about what’s to come.
I allowed the enemy to attack again, as I said on other occasions, and you wrote it down. This is part of my judgments and also another preparation for the final days. This time has not yet come but I will use these days to come to teach my people, those who listen and obey me. Everything has already been foreseen in the Scripture of Truth and those who pay attention to it, according to my call, will understand what it is about. Listen to, my people! It’s not the end. Yes, it is closer now, but it is not time yet. I still have a lot of people to call, so rest assured and be at peace.
However, you must prepare yourself for some situations, which have already been announced by my servants, the prophets. Food will be expensive and scarce in many places; the water will dry up; in the cities there will be confusion and chaos; disorder will reign. Know, therefore, that I am the Lord and will be with my people in power, and will protect them.
Be wise and watchful, because your Adversary will be on the prowl to, if possible, overthrow some. Do not be afraid, my people, you are the apple of my eye and no one will touch you if you obey me. I will guide each one of you personally, and will indicate the path you must take in the midst of the confusion that will arise. This time will be short, as I have revealed before, but it will be harmful. Many will lose their lives for the folly of deception, and many will lose their eternity in salvation. The enemy will be defeated again, however, the battle will be intense. Prevent yourself with what is necessary, I will give you understanding for that.
Some I will take from this land myself, because I want them with me. You must not be discouraged, because your redemption is approaching. That day I will come in power and glory with consuming fire and I will taste each one’s work. It will be as if you are passing through the fire but it will not reach you. However, your works will be tested and I will reward everyone according to their works. My servant Paul has already warned you of this and I reaffirm you to take advantage of the time left to build your brothers. You must address them to me, who am meek and humble in heart, and I will guide them towards my peace.

Estudo sobre Apocalipse – parte 1

Como anunciei, aqui está um mapa mental do estudo que vamos começar. Inicialmente eu pensei em fazer vídeos, mas o Senhor me alertou que era melhor fazer áudios com um plano de estudos que o leitor poderá acompanhar durante as explicações. Algumas pessoas têm internet lenta e não conseguem acompanhar vídeos, e outras têm internet limitada e vídeos consomem muito do plano contratado. Assim, para facilitar o acesso ao estudo, vou postar o áudio e o texto base sobre o qual o estudo se desenvolverá. O áudio será feito com qualidade mas será arquivo bem menor do que um vídeo.

Será bom se, ao ouvir o áudio, você tenha também o texto base aberto no seu computador, tablet ou celular, para entender com mais facilidade. Porém, se não for possível usar os dois ao mesmo tempo, o áudio será completo e explicativo, com a leitura dos textos bíblicos inclusive. O texto serve apenas como guia para uma sequência das palavras mais significativas a fim de chegarmos ao livro do Apocalipse.

Muitas dúvidas serão explicadas, mas vou deixar para depois detalhes sobre pontos que não interessam para o entendimento da cronologia dos eventos finais. O foco estará na cronologia e no significado de algumas expressões usadas no livro, que foram ditas pelos profetas e apóstolos do Senhor em várias épocas.

Um detalhe interessante sobre as profecias é que o Senhor as diz de forma embaralhada: num momento falam do tempo presente, em seguida pula para o futuro, volta ao passado para explicar e retorna ao futuro, e assim prossegue com todos os profetas. Ele fez isso para que somente quem tem interesse profundo nas coisas espirituais consiga entendê-las com o auxílio imprescindível do Espírito Santo. Não é tarefa fácil, mas é possível.

Abaixo está o link para baixar o texto base ou ver na sua tela, e abaixo está o link para o áudio.

OBS: CORREÇÃO – No aúdio eu menciono que o direito de primogenitura de Rúben, primogênito de Jacó, foi dado a Judá. Peço desculpas, cometi um engano. A verdade é que de Judá provém o príncipe mas é dos filhos de José a primogenitura – 1Cr.5: 1,2.  

https://palavradas.files.wordpress.com/2019/10/sonhos-visc3b5es-profecias-1.pdf

https://drive.google.com/file/d/18r6Vyckyu5T_bbg0Sr3fjDLB8lxKZwCO/view?usp=sharing

Em breve postarei mais um texto e áudio para outro estudo que nos conduzirá ao livro de Apocalipse.

Retornando às atividades… aos poucos

Caros leitores,

Pela graça de Deus estarei retornando às atividades neste blog e também, muito provavelmente, num canal do Youtube. Assim que estiverem prontos os trabalhos em vídeo avisarei por aqui para que vocês também se inscrevam por lá.

Também, quero agradecer aos que oraram pela minha recuperação. De fato, é um milagre eu estar aqui vivo e sem nenhuma seqüela física. A batalha espiritual foi intensa mas o Senhor esteve sempre comigo e me guardou, e me ensinou muitas coisas importantes sobre os tempos em que vivemos. Essas coisas quero repassar aos que lêem meus artigos para que haja entendimento mais profundo da Escritura.

Em verdade, o que mais me foi ensinado refere-se às profecias do final dos tempos, em especial, a Última Semana de Daniel, com revelações muito importantes sobre o que acontecerá de fato com a Igreja e como podemos saber quando começa essa decisiva semana. Sim, o tempo está próximo.

Assim que o material do vídeo estiver pronto, deixarei aqui para os leitores um cronograma do que será explicado no vídeo, a fim de que todos possam saber quais os assuntos e as profecias específicas do livro de Apocalipse, o qual poderá ser baixado para um estudo prévio.

O ensino do Senhor foi sobre o livro de Apocalipse. Este livro está dividido em três partes: os primeiros três anos da última semana, os três anos finais e uma pincelada no milênio com uma visão da eternidade, que ocorrerá somente depois do milênio.

A primeira parte refere-se diretamente à Parábola das Dez Virgens, cuja revelação me surpreendeu, pois há uma relação direta entre as sete igrejas e essa parábola. E também um aviso: não haverá arrebatamento antes da tribulação, pois esse erro é uma armadilha maligna para manter cristãos desatentos para os acontecimentos decisivos desta primeira metade da última semana. Mas também a Igreja fiel precisa saber que Deus preparou um lugar isolado onde não há perturbação para que a igreja passe esse período. Apocalipse mostra cada cena dessas com clareza, basta que o Espírito Santo mostre e podemos ver. Isso tudo e mais outras revelações importantes estarão no cronograma do vídeo e, claro, no próprio vídeo. O cronograma não explicará tudo, por isso será importante assistir ao vídeo também.

Quanto aos sonhos: não mais estarei tratando desse assunto, pois esse não é meu chamado específico. Estar onde não se é chamado traz consequências desastrosas. Portanto, fiz o material sobre sonhos porque ele é a base para a compreensão espiritual das profecias. Sonhos, visões e profecias estão intimamente ligados, pois todos são espirituais.

Por hoje é só! Que a Paz do Senhor esteja com todos, e VIGIEM, pois os dias estão próximos.

 

Aos leitores

Tudo tem seu tempo debaixo do sol.

Sei que você tem questionado sobre o porquê eu fiquei longe. No inicio, era só meu computador, depois foi um ‘probleminha’ de saúde e… aquele probleminha transformou-se num problemão. Mas, como aconselho aquilo que eu também posso fazer, fui me tratar com a TIP-ADI e descobri coisas impressionantes. Até onde consegui ver, observei 25 gerações com problemas e mais: quando eu vi a Luz, notei que um raio parecia ter vida própria, e queria me fazer deixar de observar a Luz Maior, que é Jesus. Se levarmos as contas de geração = 40 anos, temos que esse problemão tem, no minimo, 1000 anos. Também entendi porque recebi unção dobrada, e o motivo é o mesmo.

Ao retornar, observei que estava me sentindo melhor, sem dores e sem nenhuma necessidade de remédios. Mas, como sabemos, num dia sem dores e sem avisos, tive um AVC, mais precisamente dia 8 de outubro. Só entendo que isso foi pouco porque o Senhor é fiel e desde aquele dia venho me recuperando, e me sinto bem melhor. Mas falta um tanto e pretendo vir a ser melhor: falta um tempo debaixo do sol.

Se você quiser, pode me ajudar bastando orar ao Senhor. Ele sabe o que fazer. Desculpe não escrever mais porque pra mim, hoje, é bastante difícil estando em recuperação, mas brevemente estarei normal outra vez. Se a intenção do nosso inimigo era outra, ele se deu mal.

 

Sonhos aula 1 – dúvidas 1

Segue o primeiro áudio com respostas a algumas dúvidas dos leitores. Se tiver alguma dúvida mande a pergunta na sessão de comentários. Não tenho como anexar estas aulas e respostas na mesma página da apostila, por isso faço novas postagens na página principal do blog. Obrigado.

Para ouvir, clique aqui.

Sonhos – aula 1

Prezados leitores e comentaristas do blog,

por motivos alheios à minha vontade adoeci e preciso de um tempo de repouso. Assim, não estarei respondendo a pedidos de interpretação de sonhos por enquanto, e não sei quando – e se – voltarei a fazê-lo. No entanto, para auxiliá-los a interpretar os próprios sonhos, começarei a fazer alguns áudios explicando um pouco mais sobre sonhos. Se ficou alguma dúvida, pode escrever perguntando sobre a dúvida. O restante da explicação está no áudio abaixo, que você pode ouvir através do link que segue. Peço desculpas, mas a situação exige que eu repouse, embora tenha que continuar trabalhando em outro serviço, pois a vida continua.

Agradeço pela compreensão.

Para ouvir, clique aqui

Problemas

Amigos leitores do blog,

 

Escrevo rapidamente para pedir desculpas pelo atraso nas respostas dos sonhos enviados. Estou com alguns problemas no trabalho rural que desenvolvo e meu computador parece que resolveu colaborar com as dificuldades, aumentando-as: ora funciona, ora não. Assim, para tentar ajudar um pouco aos interessados, deixo aqui arquivos que podem ser baixados e que tratam de símbolos nas Escrituras, além de outro conteúdo que costumo relacionar na interpretação dos sonhos.

O primeiro deles (clique aqui para baixar) foi publicado inicialmente na internet pelo profeta americano John Paul Jackson. Está em inglês e é o que estou adaptando para a nossa língua. Você pode usar o Google para traduzir documentos inteiros. Como a tradução não é perfeita e não há adaptação para nossa língua, uma ou outra frase ficará com sentido invertido ou terá uma tradução ao pé da letra, o que pode causar alguma dificuldade de entendimento.

O segundo arquivo me foi enviado e eu não conheço a autoria (clique aqui para baixar). Se você sabe quem é ou é o próprio autor e não quer que seja divulgado, ou quer que sejam dados os créditos pela publicação, por favor, entre em contato comigo pelos comentários. Esse arquivo está em português mas não é específico para sonhos. Pode ajudar a ver os símbolos mais claros presentes nas Escrituras, porém, por ser um estudo feito apenas sobre o simbolismo sem levar em conta as emoções e outros detalhes presentes em sonhos, inicialmente, pode parecer diferente. Ao leitor cabe estudar ambos os textos junto com as emoções do sonho e com o que consegue avaliar espiritualmente. Ore: o Senhor é infinitamente mais sábio e responde às nossas orações.

Deixo, também, um arquivo escrito pela Dra. Rebecca Brown (clique aqui para baixar). Várias vezes respondi a comentários indicando problemas com ancestrais: são muito reais e presentes em nossas vidas, quer aceitemos isso, quer não. No arquivo o leitor poderá buscar algum conhecimento a respeito do assunto.

OBS: Não sei se concordo inteiramente com o que a autora escreve, pois ainda não li o livro com total atenção aos detalhes. Demanda tempo (meio escasso no momento) e estudo. Leia e se não entender alguma coisa, escreva nos comentários. Faça citação literal do texto do livro ou cite a página para me ajudar a encontrar o que ela escreveu. Sempre com a ressalva de que posso demorar um pouco para responder. 

 

E, finalmente, para os que querem entender como funciona nossa mente inconsciente, deixo um arquivo especial. São trechos importantes dos livros da dra. Renate Jost de Moraes  (clique aqui para baixar) que explicam e revelam coisas surpreendentes sobre como pensamos e agimos no mais íntimo do nosso ser. Foram gastos mais de 35 anos de pesquisas para o desenvolvimento do método ADI-TIP (www.tipclinica.com.br) o qual proporciona ao indivíduo a capacidade de ver e entender o que se passa em seu interior, e é lá que estão os nossos maiores problemas. Muito do que vemos em sonhos está intimamente ligado ao que se passa em nossa mente inconsciente. Essa porção mental não está dormente como se pensa. É muito ativa e permanece ativa mesmo enquanto dormimos. Se você tem problemas de saúde ou outros que o atormentam, a leitura do livro vai ajudá-lo a entender parte do que pode ser seu problema. O trabalho dessa pesquisadora brasileira merece nossa maior consideração e respeito. Ela foi uma mulher cristã que trabalhou incansavelmente para ajudar o ser humano a resolver suas angústias e problemas, e conseguiu! Graças a Deus pela vida dessa grande brasileira.

OBS2: O arquivo não está bem formatado, apenas foi escaneado sem qualquer edição de minha parte.

Diz Salomão:

“O espírito do homem é a lâmpada do Senhor, a qual esquadrinha todo o mais íntimo do coração.” Pv.20:27

Aos que enviaram ou estão para enviar sonhos pelos comentários, peço que aguardem mais um pouco até eu resolver os problemas pessoais e com o computador. Retorno ao blog o mais rápido possível. Obrigado. Deus os abençoe!

Simbolismos

Sabemos que sonhos e visões contém símbolos. O símbolo é uma representação compreensível de um assunto que, em geral, é muito maior do que o símbolo mesmo. Nosso espírito humano consegue entender os símbolos com relativa facilidade. – 1Co.2:

14 Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. 15 Mas o que é espiritual discerne bem tudo, enquanto ele por ninguém é discernido. 16 Pois, quem jamais conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo.

E também 1.Pedro:

20 sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. 21 Porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; mas, santos homens de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo.

O mesmo se dá com as Escrituras e seus símbolos. A formiga é um símbolo que pode aparecer num sonho. Ela simboliza trabalho árduo, prosperidade, preparação para tempos difíceis, sabedoria . (Prov. 6: 6-8; 30:25). Podemos entender muito das Escrituras se entendemos o simbolismo dela. Em geral, quando um símbolo é mostrado, em seguida há uma explicação sobre ele (Ap.17 – a prostituta, o monstro de sete cabeças e dez chifres). Se não está logo adiante ou um pouco atrás, haverá alguém a quem o Espírito mostrou o significado do símbolo em outro tempo e está registrado nas Escrituras. Ela mesma se explica.

OBS: Os símbolos podem ter um conteúdo antagônico. P.ex.: No caso da formiga, podem significar trabalho próspero como também a falta dele. Tudo depende do contexto, ou seja, qual a emoção que sentimos quando vimos a formiga no sonho. É a emoção que indica qual a direção que devemos seguir para conhecer o significado do que sonhamos.

Se formos diligentes, anotamos o significado dos símbolos para podermos discernir outros textos que contém os mesmos símbolos. Porém, dá-se o mesmo que nos sonhos e visões: a explicação final do quadro todo vem só do Espírito Santo.

Escrevo estas poucas palavras para avisar aos leitores que estou preparando mais uma pequena apostila contendo símbolos já estudados em outros sonhos pelo grande homem de Deus John Paul Jackson, já falecido. Todos têm base nas Escrituras e podem ser usados por quem se interessa pelo assunto ou por quem tem um sonho e quer entendê-lo. Lembro mais uma vez que tais símbolos servem para nos dar uma informação a respeito do quadro: tamanho da moldura, se é de madeira ou gesso, tipo de tela – tecido, papel -, se a pintura é colorida, quais cores contém, que desenho foi feito, etc. O sentido da pintura, porém, vem sempre e só do Senhor.

Fica também meu conselho: sempre anote tudo o que está relacionado à sua vida de fé. Mantenha um caderno separado para isso, no qual estão anotadas as razões para suas orações, seus sonhos, suas visões, suas impressões (intuição) sobre alguma coisa, enfim, o que lhe parecer importante na caminhada de fé com o Senhor. É muito bom anotar para conferir depois, para ver se estávamos certos, se erramos e onde erramos, o que o Senhor corrigiu, como nos orientou, enfim, uma espécie de avaliação constante da nossa caminhada com Ele. Tais anotações poderão servir para nossos descendentes, que entenderão como vivemos e como poderão se desviar dos erros que nós cometemos, pois são da mesma linhagem familiar.

E não menos importante – temos que ser honestos conosco mesmos quando escrevemos: quem mente para si mesmo está tentando mentir para Deus também. Ao buscarmos a verdade estamos nos conhecendo melhor e agindo conforme diz Paulo: Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma do pão e beba do cálice. – 1Co.11:28. E, ao fazer isso, faça da melhor forma que puder: não rabisque coisas sem sentido, sem pontuação, sem o menor zelo com a gramática, sem data nem indicação de lugar. Lembre-se que você vai ler depois e pode não entender o que escreveu. Se assim for, de nada adiantou o trabalho feito. E também, pense nos que virão depois de você: podem não conseguir entender o que você quis dizer ou até entender errado, o que é pior. Se não consegue escrever direito, hoje temos muitas ferramentas à disposição para gravarmos nossa voz. Faça isso e guarde em local seguro. Com o tempo você verá quão útil foi o trabalho realizado. Afinal, as Escrituras foram escritas com essa mesma intenção.

Conta as bênçãos

Um hino quase esquecido mas que mantém sua beleza e inspiração.

Quando você for castigado pelas fortes ondas da vida

Quando você estiver desanimado, pensando que tudo está perdido

Conte as muitas bênçãos, descreva-as uma a uma

E verá surpreso quando Deus já fez

 

REFRÃO

Conte as bênçãos, descreva-as uma a uma

Conte as bênçãos, veja o que Deus já fez

Conte as suas bênçãos, descreva-as uma a uma

Conte suas muitas bênçãos, veja quanto Deus já fez

 

Você está sempre carregado com muitas preocupações

A cruz que você carrega parece pesada demais

Conte as muitas bênçãos e as dúvidas desaparecerão

E os dias cantando você passará

 

REFRÃO

Conte as bênçãos, descreva-as uma a uma, etc…

 

Em meio aos conflitos, grandes ou pequenos

Não desanime! Deus está acima de tudo

Conte as muitas bênçãos, anjos estarão presentes

Para lhe ajudar e confortar até o fim da jornada

 

REFRÃO – Conte as bênçãos, descreve-as uma a uma – 2x

 

Aqui a letra como está nos hinários cristãos:

Se da vida as vagas procelosas são,
Se com desalento julgas tudo vão
Conta as muitas bênçãos, dize-as duma vez,
Hás de ver surpreso quanto Deus já fez.

Conta as bênçãos, conta quantas são.
Recebidas da divina mão.
Uma a uma, dize-as de uma vez,
Hás de ver surpreso quanto Deus já fez.

Tens acaso mágoas, triste é teu lidar?
É a cruz pesada que tens de levar ?
Conta as muitas bênçãos, não duvidarás,
E em canção alegre os dias passarás.

Conta as bênçãos, conta quantas são.
Recebidas da divina mão.
Uma a uma, dize-as de uma vez,
Hás de ver surpreso quanto Deus já fez.

Quando vires outros com seu ouro e bens,
Lembra que tesouros prometidos tens
Nunca os bens da terra poderão comprar,
A mansão celeste em que tu vais morar.

Conta as bênçãos, conta quantas são.
Recebidas da divina mão.
Uma a uma, dize-as de uma vez,
Hás de ver surpreso quanto Deus já fez.

Seja teu conflito fraco ou forte cá,
Não te desanimes, Deus por cima está
Seu divino auxílio, minorando o mal,
Te dará consolo e paz celestial.

Conta as bênçãos, conta quantas são.
Recebidas da divina mão.
Uma a uma, dize-as de uma vez,
Hás de ver surpreso quanto Deus já fez.

 

 

 

Demora

Amigos seguidores do blog, peço desculpas por não estar postando textos há algum tempo. Não quero fazer as coisas só para agradar ou mesmo para conquistar e manter seguidores. A mim importa que tenha algo para edificar. Assim, se o Senhor permitir, brevemente estarei publicando algo mais com esse objetivo. Obrigado.

Palavra profética para o Brasil – a seca

Palavras que o Senhor disse em 10/11/2013

Ouve, povo meu, pois entenderás o que tenho contra ti. Ouves minha voz e não respondes a mim. Lanço sobre ti o opróbrio e não atentas à minha voz. Maltratas meus profetas e queres que eu te abençoe. Pois eu vos digo a vós, meu povo, que de ti não tirarei quem me sirva, senão uns poucos. De ti não haverá quem faça a minha vontade, pois sois infiéis e desprezíveis.

Atentai, povo meu, para o que tenho dito por meus servos, os profetas: em breve caireis e não haverá quem vos socorra. Invocais deuses que não são e não a mim, o único Deus Eu Sou. E eu vos digo o que tereis: tereis setenta anos de vergonha, miséria e pó. Eu secarei a vossa terra e direis que sois culpados por aquilo que não é culpa. Acaso não prometi sustento? E acaso eu não vo-lo dei? Não o tereis mais.

Eu tirarei meu povo deste lugar e não vereis mais a luz. Zombais daquele que vos enviei e não o tendes por fiel a mim, mas vos mostrarei que eu chamo e abençôo a quem quero e aquele a quem chamei me ouve e me obedece.

Pois eu tirarei meus profetas desta terra e não ouvireis mais suas vozes em teu meio até que se cumpra o tempo que determinei. Com eles irão uns poucos que tenho chamado e estes ungirei com poder para que me ouçam e me sirvam.

Temei e tremei, povo fraco, pois será na fraqueza que aprendereis. Eu vos digo que breve vereis o que vos tiro. Dareis a outros as vossas posses e as vossas herdades, pois de nada adiantou eu vos prosperar. Usastes vosso dinheiro contra mim, dando-o ao deus a quem servis. Pois ele vos castigará com açoites e arrancará o vosso couro, e sangue correrá pelas ruas. E vereis o sangue e nem assim vos lembrareis do sangue derramado por meu Filho, o Santo Servo que dei por vós.

Eu vos farei esquecer de mim para que aprendais a lembrar daquele que vos salvou.

Vossa terra não produzirá a partir do ano que chega, vossas vinhas secarão e não tereis mais regozijo até que se cumpra o tempo determinado.

Tereis medo e em medo vivereis até que eu mesmo os resgate para mim. Como disse meu profeta Jeremias “a minha mão está erguida contra ti e não se abaixará até que cumpram-se os meus desígnios”.

Não entendereis porque vos cegarei e entregarei vossos filhos à vergonha. O mundo rirá de vós, néscios, e vos farei tornar ao vômito, desde cedo até de manhã. E todos os dias vos lamentareis por não terdes ouvido a voz dos profetas e correreis de um lado a outro procurando quem vos console, mas não encontrareis descanso.

Guardai este sinal: assim que meus profetas saírem, vossa destruição está próxima. Atentai e vede que Eu sou Deus zeloso pela palavra que sai da minha boca e é ouvida por meus servos, os profetas: ela não volta para mim vazia, mas antes realiza a minha vontade e estabelece aquilo para o qual a designei.

Vós, que zombais da verdade, alegando conhecê-la sem nada saber, vós sereis quebrantados pela vara amolecida, que enverga mas não quebra. Eu mesmo a quebrarei e vos farei voltar a mim, mas não sem antes destruir a vossa terra e a vós.

Sabei que eu sou Deus e não há outro.

Voltando à ativa

Caros leitores e ouvintes, peço que me desculpem. Tive que parar as publicações por um tempo, por problema de saúde na família, o qual ainda não está totalmente resolvido mas já amenizado. Aos persistentes, muito obrigado.  Sigamos.

Estou pesquisando – e escrevendo – sobre um assunto que vai despertar o interesse de muitos: os sonhos. O que eles são? Sempre são produto de nossa mente tentando resolver problemas? São o resultado de reações químicas em nosso cérebro? Saímos de fato do nosso corpo quando dormimos?

Sonhos podem vir da nossa mente carnal, de Deus e até de Satanás. Há meios de entendê-los e saber a origem. Podem ser premonitórios, podem mostrar um chamado ou aviso de Deus, ou podem indicar que problemas estão se avizinhando e é necessário tomar uma providência, podem indicar que você tem um problema hereditário cuja origem está em algum antepassado.  Podemos interpretá-los parcialmente mas o sentido final somente será dado pelo Espírito Santo. Sempre.

Você tem idéia de que o Senhor Jesus já pode ter aparecido a você em sonhos? O Pai e o Espírito Santo, também.

O profeta John Paul Jackson (EUA) procurava uma estação de rádio durante o percurso de carro para o trabalho quando ouviu a locutora dizer que interpretaria um sonho. Deixou ali, pensando ser uma locutora cristã com dons de interpretação. Uma ouvinte ligou e contou que via sua filha brincar no quintal e, de repente, aranhas começaram a aparecer, vindo do fundo para a frente; subiam na garota e a sufocavam. Ela correu até o mercado e pediu um spray de veneno. O vendedor, um homem calmo e sério, respondeu com firmeza que aquilo não adiantaria e que ela mesma teria que resolver a situação. A interpretação da locutora new age foi  a seguinte: ela deveria dar mais amor à filha, que estava se sentindo abandonada e, por isso, a angústia se manifestava em forma de aranhas.

O profeta ouviu aquilo e disse: Está tudo errado! As aranhas indicam uma atividade maligna que está para ocorrer sobre a menina. Quando a mãe vai ao mercado, quem a atende é o Senhor mesmo, e diz que ela deveria resolver a questão. Como? Orando! Como as aranhas vinham do fundo para a frente significa que é um problema hereditário, uma maldade ou maldição proferida por um antepassado que Satanás estaria cobrando na linhagem familiar.

Este é apenas um dentre milhões de sonhos. Quantos desses sonhos vieram de Deus para nos avisar de problemas, mostrar que devemos orar, que precisamos mudar algo em nós, que Deus vai mudar nossas vidas, que precisamos avisar alguém de um perigo ou de uma bênção? Vários, certamente. Há muito que o Senhor quer falar conosco mas não lhe damos atenção. Para esquentar os motores, vá lendo Jó 33:14 e seguintes e comece a pensar no assunto. Vá ao livro de Daniel e veja os sonhos que o profeta interpretou para o rei. Veja os sonhos de José, filho de Jacó. Veja as interpretações e comece a pensar – e a orar – para ver como têm sido as mensagens de Deus para você. Estou plenamente convencido de que Deus tem falado com muitos nestes dias difíceis que atravessamos.

E você, tem entendido seus sonhos?

Aguardem as próximas postagens e, ao final, uma apostila com o resumo dos assuntos tratados.

Abração a todos! Deus os abençoe.

 

O aborto na adolescência

1. A situação-problema – Um dos grandes problemas humano-sociais, que tem preocupado educadores, médicos, psicólogos e pais de família, é o crescente número de jovens, freqüentemente ainda no início da adolescência, que inesperadamente engravidam e que, não tendo condições ou não estando dispostas a enfrentar a responsabilidade da criação de um filho, buscam a solução mais imediata, a da eliminação dessa criança pela prática do aborto. Entretanto, como sabemos, o aborto é proibido por nossas leis. Assim, a adolescente recorre à clandestinidade para conseguir seu objetivo, o que a expõe a grandes riscos de saúde e até de vida. Essa é a situação de fato que tem preocupado profissionais de alguma forma ligados à área. E a proposta de solução tem sido freqüentemente muito simplista e imediatista, baseada apenas na defesa da idéia de que é preciso legalizar o aborto para que a adolescente possa realizar essa intervenção sem correr riscos de saúde. Ora, essa pretensa solução orienta-se apenas para os últimos “efeitos” de uma seqüência de problemas sérios e, ainda de tal forma, que proporciona o aumento da “situação-problema” em si. Pois, é evidente que, se facilitarmos as condições do aborto, estaremos diminuindo as restrições às gravidezes irresponsáveis e, mesmo aprovando-as, tacitamente, da mesma forma como expressamos assim a concordância com a libertinagem e a devassidão sexual entre adolescentes. Finalmente, estaríamos ampliando o número de jovens que viriam a necessitar da intervenção do aborto. É impressionante como somos, com tanta freqüência, envolvidos sutilmente por sofismas, a ponto de não nos darmos conta de nossos contra-sensos, distorções de raciocínio e inversão de valores. Essa distorção se expressa, por exemplo, num dos chavões muito repetidos em defesa do aborto, que diz ter a mulher “direito sobre o seu corpo”. Realmente o tem, mas é na hora em que decide se vai ou não realizar o ato sexual. De momento que ela esteja grávida, a criança já não é o corpo da mãe, mas um novo ser e com direitos mais fortes que os de sua mãe. Pois se a mãe pede “direito sobre o livre uso do corpo essa criança clama, nesse instante, pelo “direito de ser e viver!” Por outro lado, quando se sugere proteger as adolescentes do risco de um aborto clandestino pela sua legalização estamos, em outras palavras, querendo criar a oportunidade para que uma mãe possa “matar o seu próprio filho e em melhores condições legais e sanitárias”. Estamos criando condições mais apropriadas para uma homicida que quer realizar um assassinato! Estamos aprovando o seu gesto e ajudando-a a realizá-lo tornando-nos cúmplices. É como se, ao sabermos de um assalto ou seqüestro por acontecer, em vez de tentar evitar o crime, déssemos aos malfeitores os instrumentos necessários para que pudessem concretizar sua pretensão e com mais eficiência e menos perigo para si próprios! Em termos de lógica, portanto, estamos diante de um absurdo. Além disso, cabe perguntar: afinal, quem nos diz qual a vida mais preciosa, a da criança por nascer ou a da mãe adolescente? Qual o critério em que nos baseamos para condenar a criança à morte defendendo, em contraposição, os riscos de saúde da mãe que a quer matar? Que tipo de justiça nos ensina que uma criança inocente e sem defesa deve pagar com a própria vida a conduta irresponsável de seus pais, que se uniram em momentos de busca de prazer, sem medir as conseqüências de seus atos?
Sem dúvida, entendemos que as reflexões acima podem chocar quem se acostumou a colocar “panos quentes” sobre a questão, suavizando sentimentalmente a situação existencial dos adolescentes diante da questão de estarem sofrendo o problema da gravidez indesejada. Então, cuide-se com carinho e particularmente de cada adolescente nessa situação. Mas não queiramos corrigir um erro por outro pior, qual seja, oficializando a série de condutas desregradas que conduziram adolescentes ao impasse no qual se encontram, pois estaríamos, evidentemente, estimulando outros jovens a imitarem o exemplo, enfraquecendo suas forças e motivando-os a ceder ao que “é mais fácil”, ao que “mais agrada”, mas que é contrário às suas necessidades fundamentais de plenificação e realização humana. Se continuarmos a “animalizar” o homem, facilitando-lhe a liberação descontrolada de seus instintos e a irresponsabilidade diante de seus atos, a própria natureza se rebelará, pois ela se vinga impiedosamente das faltas que contra a sua ordem se cometem. Estaremos, então, fomentando o egocentrismo, o desrespeito pelo outro, o crescimento da violência, a anormalidade social. E a vida neste planeta se tornaria simplesmente insuportável.
2. O diagnóstico da situação-problema – Para que possamos descobrir as soluções mais adequadas à “situação-problema” acima mencionada, é necessário, em primeiro lugar, entender melhor o que realmente acontece em termos psicológicos com a adolescente que se encontra diante da iminência de praticar o aborto. De fato, o “aborto” se localiza, no mínimo, como a quarta etapa de sofrimentos, os quais poderíamos resumir assim: o desamor primordial, a relação sexual precoce, a surpresa da gravidez e a necessidade do aborto. Vejamos estas diversas fases:
2.1 Apesar das aparências em contrário, os adolescentes são profundamente perturbados por relações sexuais prematuras e inconseqüentes. A situação que hoje coloca a adolescente diante do conflito do aborto começou com uma fase de encontros sexuais dela com um ou mais companheiros. Esses acontecimentos são facilitados pela “permissividade” de nossa época. Mas são eles também gerados pelo que chamamos de “crise do Amor”! Baseamo-nos aqui em dados coletados a partir da Abordagem Direta do Inconsciente ou ADI que é a pesquisa dos conteúdos puros desse nível mental realizada sem hipnose nem interpretação, mas pela busca “direta, consciente e questionada” dessas informações, através do próprio paciente. Essa pesquisa nos comprova que a criança tem consciência de si mesma, desde a concepção, e que já pode, então, atuar sobre o seu todo “psiconoossomático”, beneficiando-se ou prejudicando-se. Realiza ela “programações” nesse sentido e lança em seu inconsciente “registros de base” os quais, uma vez condicionados, desabrocham, vida afora, em grande número e variedade de sintomas. O referencial que a criança busca na concepção, na gestação e na infância para influenciar a estruturação no sentido positivo ou negativo de seu ser é o Amor dos pais entre si e para com ela. Acontece que, atualmente, a vida conjugal e as famílias também vivem uma fase de desestruturação. Conseqüentemente, aumenta a probabilidade de a criança encontrar o “desamor”, tanto no momento crucial da concepção, como na continuidade da formação do seu ser. Tende, então, a agredir-se de maneiras diversas no psiquismo, na mente, na vida relacional, no próprio organismo, mas continua, dentro de si, com desejo profundo e existencial de encontrar-se no Amor. Todos precisamos realizar-nos no Amor. Podemos dispensar o sexo, mas não o Amor. O psicanalista Renée Spitz provou que a criança não sobrevive ao primeiro ano de vida se não tiver Amor, descrevendo os sintomas físicos que conduzem à morte causada diretamente pelo “desamor”. E na adolescência acontece o despertar da sexualidade que orienta esse desejo de amar para o sexo oposto. Assim, os adolescentes lançam-se com todos os seus sonhos e esperanças, próprios da idade, e com a força integral de seu ser, nesses encontros a dois, numa relação sexual precoce, imatura e inconseqüente, mas na busca de compensação daquele inimaginável sofrimento de frustração do Amor primordial. Evidentemente, os jovens depois se decepcionam. E essa desilusão não atinge apenas aquela experiência amorosa, nem somente cria prevenção contra uma futura vida conjugal e familiar, desde aí já destinada a ser difícil mas esse segundo golpe de desamor toca existencialmente o adolescente e seu parceiro, apagando, paulatinamente, o seu vibrante vigor da juventude, o idealismo, a alegria, a esperança. é a esperança da humanidade que está nos jovens! O recurso é, agora, dopar-se com drogas para não sentir a existência. Há outras considerações psicológicas que poderíamos aqui fazer sobre a questão. O que mais importa, no entanto, é entender que mesmo independente de qualquer argumento de ordem moral ou religiosa, as relações sexuais precoces e inconseqüentes prejudicam profundamente o desenvolvimento sadio e integral do adolescente. Aliás, é oportuno lembrar que em estatísticas realizadas na Alemanha e nos EUA, constata-se que, apesar do liberalismo sexual, e exatamente por isso, acontece hoje a maior incidência de casos de “frigidez” e “impotência sexual” de todos os tempos, sintomas esses apresentados em jovens de pouca idade. A permissividade sexual, portanto, não possibilitou aos jovens, nem sequer o conhecimento ou a experiência do autêntico prazer sexual.
2.2 A gravidez inesperada e indesejada da adolescente é um susto existencial, um corte em seus planos de vida, um medo consciente da reação dos outros e um pânico inconsciente diante da percepção do mistério de trazer uma nova vida humana dentro de si. Sabemos que a gravidez na fase da adolescência é profundamente perturbadora. Ainda que a jovem e seu companheiro tenham o apoio dos pais e a compreensão dos amigos, muitas lágrimas são derramadas em torno da questão, noites de sono são perdidas pelo companheiro, enquanto a jovem grávida ainda sofre, quase sempre, uma atitude de rejeição velada ou aberta por parte de quem ela se acreditava eternamente amada. Além desse sofrimento interior, a situação de gravidez exige mudança de vida, confidência aos pais, cuja reação não se pode prever, e provoca tantos outros problemas e preocupações que todos conhecemos. Queremos, no entanto, enfatizar apenas um aspecto novo que se evidencia a partir do inconsciente pesquisado. É que todo casal de adolescentes que se encontra diante de uma gravidez indesejada passa a sofrer o grande conflito entre deixar ou não a criança nascer. Se dizemos “todo” adolescente, não negamos que haja exceções que confirmem a regra. Mas o que se evidencia inequivocamente pela pesquisa do inconsciente é que “não matar” representa um valor intrínseco-universal “inscrito nos corações dos homens” e não um valor “relativo”, externamente imposto ou ensinado. Além disso, é inerente ao ser humano sentir-se comovido pela capacidade de gerar uma vida e diante da possibilidade de vir a ser pai ou mãe! O adolescente ainda não teve tempo de endurecer o seu coração para tornar-se insensível a esse fato! Luta ele, dentro de si, com os dois sentimentos mais extremos do existir humano, e numa alternância continua: sentimento de “doação” ou do “amor” que quer a “vida”, e o “egocentrismo”, ou o “ódio” capaz de “destruí-la”. O desgaste dessa situação emocional é incalculável.
Disse-me um paciente que passara por essa situação quando adolescente: ⇒”Eu me sentia ao mesmo tempo pai e criança, um anjo e um monstro. Pensava em assumir o casamento com aquela menina, mas eu não tinha condições financeiras e a conhecia tão pouco! Eu queria ao menos esperar para ver o rosto de meu filho, mas sabia que então já não teria coragem de matá-lo, e o que faria com ele?! Não consegui encontrar solução e acabei por não mais encontrar a mim mesmo! Interrompi meus estudos, prática de esportes, o seguimento normal de minha vida! Quase enlouqueci e até hoje tremo quando penso nesta criança que ajudei a abortar, pois sinto-a viva, olhando-me! Faria tudo para não ter essa história em minha vida passada!”
2.3 O aborto não é só agressão violenta a um organismo sadio e ao psiquismo, nem é o encerramento de uma série de problemas que vinham se acumulando. Ao contrário, o aborto é o começo de outros grandes sofrimentos, que são levados até o fim da vida e que atravessarão gerações. Um dos maiores sofrimentos que assolam quem praticou o aborto ou quem o estimulou é o que conhecemos por “sentimento de culpa”. Brota esse sentimento, inevitavelmente, do mais íntimo do ser ainda que existam justificativas aparentes e racionais para o erro cometido. A experiência clínica com a ADI nos comprova que o “sentimento de culpa”, originário dos valores pré-reflexivos quando desrespeitados, é automático e expressa-se na forma de autopunição, ainda que as causas nunca sejam “conscientizadas”. Temos, então, os desequilíbrios psicológicos, as depressões e angústias inexplicáveis, o desejo de morte, o bloqueio mental, a agressão diversificada ao organismo através da diminuição imunológica, ou por meio da criação de disfunções, especialmente em torno dos órgãos genitais ou vitais, etc. O paciente com “sentimento de culpa” tende a não se permitir sucesso, alegria e nem mesmo a cura de seus males. E tais manifestações tornam-se ainda mais fortes conforme se associam simbolicamente à causa desse sentimento. Assim, depois de adultos, pessoas com “registros” de culpa de aborto, ainda que de forma totalmente inconsciente, tendem a não se permitir gerar os próprios filhos, e muitas mulheres abortam, então, naturalmente e sem querer, não conseguindo levar as gestações até o final. Outros casais, nessas condições, superprotegem neuroticamente os filhos que conseguiram ter. Então, qualquer doença ou acidente é causa de pânico dos pais, que têm um medo inconsciente de ser castigados. Fixações, fobias, depressão, escrúpulos, tudo isso encontra, inúmeras vezes, um “primeiro elo” num sentimento de culpa e, muitas vezes, em relação a um aborto praticado e registrado no inconsciente. Recordemos também a força e a realidade da tendência de se repetirem, através das gerações, certos traços, problemas, atitudes, maneiras de pensar, de agir e de julgar os fatos. O “sentimento de culpa” é um desses fatores que atravessam gerações, repetindo-se também mediante mecanismos similares de autopunição. Em relação à prática do aborto, o que se observa é o seguinte: se uma mãe, por exemplo, no terceiro mês de gravidez pensou em abortar esse filho ou tentou fazê-lo, se a gravidez for de menina e essa um dia ficar grávida, também tenderá a sentir, em torno do terceiro mês de gravidez, um impulso forte de provocar o aborto. Essa criança, por sua vez, se for mulher, quando engravidar, em torno do terceiro mês, também tenderá a pensar em abortar o seu filho; e assim sucessivamente. Se o filho com tais experiências na gestação for homem, poderá ter sentimentos semelhantes no dia em que estiver para ser pai e aconselhar a esposa grávida a abortar seu filho, sem “conscientizar-se” por que motivo o faz. Mesmo que possa acontecer um corte nesse mecanismo, ou uma decodificação desse registro de ação inconsciente, é de considerar, porém, a seriedade do ato de abortar diante dessa tendência de repetição dos fatos, através das gerações.
3 Propostas de soluções para a situação-problema descrita. As reflexões sobre o “diagnóstico” da situação problema deixam claro que a legalização do aborto não apresenta solução alguma para a questão, apenas piorando-a sob todos os aspectos. A resolução está, em primeiro lugar, numa mudança de posicionamento em relação a esses fatos. Assim, perguntamos: em vez de lutar pela legalização da “morte” de inocentes, ainda no útero materno, por que não se batalha, ao contrário, para que as novas vidas humanas encontrem um sólido ninho de Amor conjugal e um ambiente de receptividade ao serem geradas? Não insistimos tanto em nossos dias pela preservação da vida animal e da vegetação, em movimentos ecológicos? Será a vida humana menos preciosa? Merece a vida da criança a ser gerada ou em gestação menor respeito e consideração? Mudando-se o enfoque da “defesa da morte pelo aborto” para a “defesa da vida”, novas reflexões podem ser feitas, na busca de soluções para a situação-problema apresentada. Acompanhemos as considerações.
3.1 Lembremos inicialmente que a adolescência e a juventude não representam apenas a fase do despertar da sexualidade, mas também a época da atração por grandes ideais. E o ideal onde se situa a capacidade de amar é mais forte no jovem que a necessidade da pura satisfação sexual. Tanto assim é que o jovem tende a “dopar-se” quando não consegue dar vazão ao ideal, quando fica reduzido apenas a experiências menos nobres. Isso o inquieta, porque ele busca naturalmente o “heroísmo” e é capaz de grandes feitos, quando tocado por convicções profundas. É, portanto, junto aos jovens e aos próprios adolescentes que pode ser começado um trabalho em ampla escala de renovação, inclusive em relação à permissividade sexual. Acreditemos no potencial da adolescência, que tem sido abafado pela mentalidade “hedonista” de nossa época. O jovem é aberto por natureza e não escravizado, como o adulto, à acomodação ou a hábitos antigos, e isso, simplesmente, porque não os possui. No jovem adolescente a terra está à espera de boas sementes.
3.2 Fortifique-se a estrutura de base “psiconoológica” do adolescente pela orientação familiar. Já vimos que a criança estrutura todo o seu ser “psiconoossomático” sobre os pilares da qualidade de vida conjugal de seus pais. As dificuldades da adolescência são apenas a eclosão, a época em que essa “criança” exterioriza o que “condicionou” dentro de si, na infância e na fase de gestação. Um adolescente com boa estrutura psicológica alicerçada sobre o Amor conjugal de seus pais e devidamente orientado está em condições de desenvolver um vir-a-ser psicofísico e noológico sadio e equilibrado, rejeitando, então, espontaneamente as relações sexuais irresponsáveis. Em conseqüência, bem mais raramente encontrar-se-á ele diante de uma gravidez indesejada ou frente à situação de pensar no aborto. Entretanto, se vier a acontecer, tudo indica que ele estará pronto a enfrentar com responsabilidade as conseqüências de seus atos, assumindo a vida do ser que gerou. Daí a importância de auxiliar os casais na vivência conjugal e familiar mais harmoniosa. Na realidade, problemas conjugais são de “relacionamento” e podem ser contornados. A pesquisa pela ADI oferece a oportunidade de determinar com precisão, as causas psicológicas que são transferidas para esse contexto conjugal e familiar, permitindo também a remoção dos problemas. A ADI mostra, ainda, pelo inconsciente, a importância das atitudes do “esforço” e do “querer” para que se tenha um bom relacionamento familiar. E aqui é imprescindível que o casal se transcenda, buscando a sua inspiração na Fonte de todo Amor.
3.3 Ensine-se aos jovens o conceito, a vivência e o significado do “humanístico” e do verdadeiro Amor. Nas escolas e faculdades alimentamos o “intelecto” dos alunos. Esmeramo-nos em dar-lhes “conhecimentos científicos” sobre a natureza externa ao homem e, no máximo, sobre aspectos de seu psicofísico. Ensinamos o que o homem “tem”, como “age”, como “funciona”, mas não temos coragem de lhes dizer, com a mesma firmeza, o que o homem “é” e o que realmente o realiza como “ser”. Fala-se de sexo e do amor afetivo, mas silencia-se sobre o Amor “efetivo” e sobre a realidade transcendente do homem. E quando se levantam tais assuntos, são eles conduzidos, em geral, de forma “subjetiva”, ou baseados apenas em normas morais e crenças, sem a força da verdade dos argumentos incontestáveis que estão na base desses temas. Em que deve o jovem basear sua maneira de pensar e de agir sobre a essência do “humano”, se em sua formação lhe são negados esses conhecimentos?
3.4 Comuniquem-se aos jovens as últimas descobertas reveladas pela pesquisa do inconsciente sobre a realidade da criança na fase de gestação, sobre a natureza dos conflitos da adolescência e sobre os segredos de uma harmoniosa vida conjugal. Quando um casal de adolescentes busca abortar uma criança em gestação, em geral está preocupado apenas com a sua situação particular, não se lembrando da “pessoa” da criança. A atenção dos dois, quando pensam no aborto, focaliza somente o “problema imediato”, esquecendo-se de que estão decidindo sobre a vida ou a morte de um ser humano. Se isso acontece, é também porque pela metodologia científica ainda não se conseguiu definir com precisão o momento exato em que a criança se torna pessoa ou quando toma consciência de si como “ser” ou ainda, qual o grau de percepção que tem dos fatos externos quando se encontra no útero materno. Hoje, a pesquisa sobre o inconsciente fornece todas estas informações. Ensine-se, portanto, aos adolescentes e jovens os dados obtidos com essa pesquisa, especialmente que a criança é um ser vivo e inteligente desde a concepção, que ela, desde esse momento, pelo poder da “intuição”, observa sem limitação de tempo, espaço e matéria, tudo que se passa fora dela, sentindo e reagindo. Esclareça-se que essa criança distingue, na concepção, uma realidade diferente dos gametas e do zigoto. De fato, ela “vê” uma “Luz” cuja presença se faz sentir como Amor e acolhimento. Esse núcleo de Luz não é percebido como sendo dos pais, mas vindo diretamente de uma “Luz” maior, distante, do “Infinito”. O paciente, ao perceber e descrever essa “Luz” em terapia, sente que é dela, e não do zigoto, e que recebe o caráter de “pessoa única e irrepetível”. E essa pessoa, a partir da percepção em seu inconsciente, observa também que a Luz aparece em qualquer criança, mesmo que se trate de “filho” de estupro, fisicamente defeituoso ou deficiente. Identifica o paciente, quando levado à concepção, que existe uma espécie de marca” dessa Luz em seus gametas, tudo lhe provando que ele não está surgindo por “acaso”. Finalmente, o paciente, se tiver “filhos abortados”, pode sentir que, ao matar-lhes o corpo, não consegue destruir-lhes o ser imaterial. Concluindo: em relação à “situação-problema” que focaliza o aborto existem, portanto, soluções diferentes que não a “matança desses inocentes”. E existem muitos jovens e adultos, também em nossos dias, que acreditam na força do Amor e do bem. Arregacemos, portanto, as mangas, engrossando as fileiras dos que lutam pela re-humanização do homem. Estamos no momento certo da história para gerar mudanças. Os homens estão cansados da auto-ilusão gerada por falsas propostas de felicidade. A juventude e a humanidade anseiam pelo retorno aos valores estáveis e transcendentes. Por isso, acreditamos na importância da gota d’água de nossa contribuição, pois ela deverá se unir a outras e acabar por formar rios e cascatas de alto potencial transformador.

“O inconsciente sem fronteiras” – Renate Jost de Moraes – Ed. Idéias & Letras, 11a edição – revista e atualizada.

OBS: As ênfases no texto foram adicionadas por mim e não seguem as da publicação original.

Alienígenas e a NOM – 4 – resposta a um email

Olá ouvintes do meu programa!

Segue mais um áudio de 1h sobre os alienígenas e a Nova Ordem Mundial, mas agora em resposta ao email de um ouvinte. São questionamentos interessantes, vale a pena ouvir. Seria possível forjar um ataque alienígena?

Também, estou mudando o link dos áudios porque, segundo me informaram alguns seguidores do blog, estava difícil baixar os áudios do Google Drive. Então, foram para o 4shared. Se houver algum problema, por favor, me avisem.

Segue o link:

http://www.4shared.com/mp3/s-_rqu5-ce/Aliengenas_e_a_NOM-4-resposta_.html

Abraços a todos e obrigado pela audiência e pela paciência.